sábado, 7 de março de 2015

Valdeir Batista se movimenta. Na última cartada, atraiu o médico piauiense Aluísio Coelho para o PRB.


O empresário Valdeir Batista ainda se movimenta na política local, apesar de poucos perceberem e até ele mesmo não expor com frequência seus passos. A última vez que fez manobra radical, em 2008, desistiu de disputar a prefeitura, largando uma batata quente na mão do já desafeto Emanuel Bringel (PSDB), e ao mesmo tempo soltou as rédeas do gigantesco grupo que comandava para que cada liderança fizesse as suas escolhas. Como resultado, o exuense Lula Sampaio venceu Bringel na disputa pela prefeitura de Araripina, para logo em seguida ser afastado do cargo, que ficou com o vice-prefeito Alexandre Arraes, arraesista histórico que conseguiu a reeleição.

A manobra de Valdeir Batista desta semana inicial de março de 2015 ainda não foi entendida por muitos. Talvez menos ainda por seu cunhado e também médico, o araripinense Divanágoras Holanda. Uns acreditam que o empresário conversou antes com o prefeito Alexandre Arraes. Muitos não acreditam que a jogada tenha sido combinada. Mas o fato é que na foto do jantar promovido na casa do empresário e ex-prefeito para 'festejar' o ingresso de Dr. Aluísio Coelho no PRB havia alguns auxiliares e aliados do prefeito e nenhum evangélico da Igreja Batista de Araripina, onde o médico congrega. Esta constatação levou o 'senadinho' a fazer diversas leituras, desde 'espada nas costas' do prefeito Alexandre a manobra genial do mesmo. Considerando-se que Valdeir Batista anunciou em entrevista ao lado do médico que não vai mais comandar as 'conjecturas políticas', papel que caberá ao novo filiado, presume-se que o mesmo limitou-se  ao papel de 'presidente de honra' do partido, restando várias constatações óbvias e algumas perguntas. Uma constatação mais do que óbvia é a seguinte: Se a manobra não conta com o respaldo do prefeito Alexandre Arraes, muitos dos que são do PRB e ao mesmo tempo ocupam cargo de confiança na prefeitura, por orientação de Valdeir Batista, vão procurar o gestor municipal para saber a qual partido se filiar, apresentando de pronto a carta de desfiliação. Ressalte-se que o prefeito jamais será descortês com Valdeir Batista e pedirá para alguém trocar de partido. Valdeir Batista também não será descortês com Alexandre Arraes, mantendo no seu partido pessoas que ocupam cargo de confiança esperando apenas a hora de 'pular do muro'. Valdeir Batista é muito elegante e correto para estimular este tipo de procedimento.  É regra secular  procurar-se alinhamento partidário com o gestor quando se ocupa cargo de confiança. Daí poucos acreditarem em ruptura entre Alexandre e Valdeir Batista, desde quando seu cunhado Sebastião Arrais continua à frente da Autarquia de Trânsito de Araripina. Isso aumenta a impressão de que Dr. Aluísio está numa corda bamba ou foi previamente informado de que o seu novo partido passará por defecções para que ele (o médico candidato) possa formá-lo a seu modo e poderio - Ou nada disso.
Uma pergunta inevitável está relacionada a quem é cabeça e quem é calda no PRB. Considerando que uma chapinha consistente mas sem lastro na prefeitura elege entre 2 e 3 vereadores em Araripina, cabeça e calda deverão se desintegrar até outubro, restando saber se ficarão os quatro mais fortes ou os dez mais fracos na disputa por vagas na câmara. O PRB já conta com o vereador Tico de Roberto e com os suplentes Paulo de Zé de Senhor e Silvano do Morais, por exemplo.


Espremido e coado, o caldo do 'enlace' político Valdeir Batista/Dr. Aluísio continua gerando mais dúvidas que certezas. A primeira dúvida é  se Valdeir Batista virou liderado de Dr. Aluísio, se foi o contrário ou se nada disso.
Uma certeza não se pode esconder. Dr. Aluísio dizia com todas as letras e tons que ingressaria no PSC do deputado federal Sílvio Costa e, sem maiores delongas, 'caiu no colo' do ex-prefeito e ex-deputado Valdeir Batista, dono de potente e prestigiada emissora de rádio, já que a história política de Araripina nos impede de narrar ao contrário, pelo menos por enquanto.
Nisso tudo, uma coisa é certa: Dr. Aluísio não precisaria de tamanho 'espalhafate' para usar a Rádio Arari nem para ser notícia até outubro. Nem Vadeir Batista precisa de Dr. Aluísio para abrir canais de diálogo com o governador Paulo Câmara, já que tem largo e interminável corredor para dialogar com o prefeito Alexandre. Isso aumenta as certezas. E as dúvidas também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário