sábado, 28 de março de 2015

Dia 12 vem aí: Tempestade só chega ao fim dois anos depois de Dilma descer a rampa.


O Brasil está de pernas pra cima com o PT de cabeça na areia. PIB oficial de 0,1%, e por cima mentiroso, pois é negativo em 2014, com retração brusca da economia já admitida pelo próprio governo em 2015; desemprego crescendo; Lava-Jato avançando; programas sociais derretendo e o PT tomando o lugar dos outros bandidos nos presídios são sinais de que o ciclo desses moços sem juízo e sem caráter chegou ao fim.
Vendo aqui de longe de Brasília, fica a impressão de que o Brasil só se livrará da crise na economia dois anos depois de se livrar de Dilma. Portanto, se ela ficar até o fim do mandato, somente em 2021 nos livraremos dos efeitos nefastos do PT no Planalto Central. Se ela sair até junho, renunciando ou sendo afastada, em 2017 veremos a luz no fim do túnel.
Ninguém aqui confia mais no governo. Lá fora, ninguém confia mais no Brasil. Nem o PT confia no PT, para ser mais fiel aos fatos. Ninguém sabe quem pode comprar, muito menos quem vai pagar. E assim ninguém vende e ninguém faz na esfera federal. É um caos.
Dia 12 vem aí. Acho que até petistas vão sair às ruas pedindo o fim de tudo isso. Acho que os petistas, aqueles que se esforçaram para eleger Dilma, são os mais envergonhados, os que mais sofrem, pois se sentem responsáveis diretos pelo desastre. Acho que eles são os que mais torcem para que Dilma renuncie, pois sabem que diferente disso é querer o pior: Votação do impedimento ou mesmo um golpe militar. Entrar para a história das duas últimas formas é mais trágico do que sair renunciando e usando algum discurso mentiroso, daqueles usados por qualquer demagogo incapaz.
O único risco de uma renúncia é o barbudo chefe da gangue querer voltar 'nos braços do povo' em 2018, se valendo do fiasco dos dois próximos anos na economia.
Dia 12 vem aí. Se você é petista mas não é burro, vá também para a rua. À francesa, para não chafurdar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário