quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Madrasta Dilma ensina ao Brasil como desempregar 230 mil em dois meses e negar seguro desemprego


(Estadão) A taxa de desemprego no País avançou para 5,3% em janeiro, a maior taxa desde setembro de 2013, quando havia sido de 5,4%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em dezembro de 2014, a taxa estava em 4,3%. A pesquisa é feita nas seis principais regiões metropolitanas do País.

O aumento na taxa de desemprego foi provocado pela dispensa de trabalhadores mas também pelo aumento no número de pessoas em busca de uma vaga. Houve piora na comparação com o mês anterior, mas também em relação ao mesmo período do ano passado. No mês de janeiro do ano passado, a taxa de desemprego foi de 4,8%.

Em relação a dezembro, o número de desocupados cresceu 22,5%, o equivalente a 237 mil pessoas a mais na fila por uma vaga. Na comparação com janeiro de 2014, a alta foi de 10,7%, 125 mil indivíduos a mais desempregados.

Já a população ocupada encolheu 0,9% em relação a dezembro, devido ao corte de 220 mil vagas. Em relação a janeiro de 2014, o total de ocupados encolheu 0,5%, com 109 mil dispensas.O número de inativos recuou 0,2% em janeiro ante dezembro, 34 mil pessoas a menos fora da força de trabalho, mas aumentou ainda 2,9% na comparação com janeiro de 2014, período em que 551 mil indivíduos migraram para a inatividade.

Renda. O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 0,4% em janeiro de 2015 ante dezembro de 2014 e aumento de 1,7% na comparação com janeiro de 2014. A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 50,7 bilhões em janeiro de 2015, uma queda de 0,4% em relação a dezembro de 2014. Na comparação com janeiro de 2014, a massa cresceu 2%.

Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 62,5 bilhões em dezembro do ano passado, uma alta de 11,2% em relação a novembro. Na comparação com dezembro de 2013, houve aumento de 2,5% na massa de renda efetiva. O rendimento médio real dos trabalhadores em janeiro foi de R$ 2.168,80, contra R$ 2.161,20 em dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário