terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

2015 vai começar na próxima quarta-feira - ingrata. Problema de Dilma.


Ela prometeu mundos e fundos. Está negando tudo e entregando apenas o que sai dos fundos. Ela acusou os adversários de fazerem tudo errado - aquilo que mais faz. Ela acusou os adversários de calote eleitoral, que viria com aumento dos preços, tarifaços e venda de bancos públicos - justamente aquilo que planejava e ora executa, bastando comparar o preço dos combustíveis, da energia, dos alimentos e a venda da CEF em encaminhada. Ela acusou os adversários de esconderem seus erros e protegerem seus malfeitores - ela nomeou um ministro da justiça que usa a sede do ministério para planejar final melancólico para a Operação Lava-Jato.
Ou seja, é uma delinquente recorrente, uma mafiosa sem máscara, uma chefe de quadrilha que recebe ordens de todo tipo de chantagista, uma atabalhoada que entrega o coração do governo aos 'patrões' para salvar a própria pele, deixando à deriva uma Nação inteira. Basta ver: Agricultura nas mãos da líder maior do agronegócio - Kátia Abreu, presidente da CNA e senadora pelo partido que ocupa os cargos da linha sucessória, o PMDB; Desenvolvimento Econômico nas mãos do líder maior dos patrões da indústria - Armando Monteiro Neto, presidente da CNI, senador pelo PTB, partido que apoiou formalmente Aécio Neves. A economia toda na mão de pessoas de confiança do mercado. Na mais cristalina verdade, o Bradesco nomeou o ministro que ditará o rumo de seus lucros.
É ou não é uma pilantra essa senhora sessentona que acusou Marina Silva de fazer o 'jogo' dos banqueiros? É ou não é uma 'atriz' de má índole que acusou os adversários das pilantragens que ela própria comete?
Pois bem, dona Vana do coração valente, 2015 finalmente vai começar. E se depender do humor das ruas de nada adiantará chamar de volta o marqueteiro. Ele ajudou a mentir e deu certo na campanha. Mas nada indica que dará certo com a mentira andando ao lado do mentiroso. Basta uma passada no posto de combustíveis para a raiva aumentar. Basta uma conta de luz chegar para a fúria ficar incontrolável. Basta uma tentativa frustrada de um jovem que tenta o prometido FIEIS para as ruas se encherem de caras-pintadas. Nem vai precisar do reforço daqueles que acreditam no seguro desemprego que não terão.
Repetindo: 2015 começa logo agora, quarta-feira, quarta ingrata. Muita gente lisa, endividada, de ressaca, desorientada e sem entender as bobagens que fez nas urnas e por trás das máscaras no carnaval que finda. Problema de Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário