terça-feira, 18 de novembro de 2014

Secretariados: Estado, para governar; Município, para governar e disputar.

Interlocução palaciana: Sai Eduardo, entra Paulo. 

Dois secretariados estão em processo de escolha no momento, e  interessam diretamente ao povo de Araripina. O do estado, a ser anunciado por Paulo Câmara; e o do município, a ser anunciado talvez em final de dezembro por Alexandre Arraes.
O do estado indica se Roberta Arraes será empossada logo na Assembleia Legislativa ou um pouco depois, com a eleição de prefeito que se avizinha, quando vários deputados de sua bancada serão eleitos em suas bases e se afastarão definitivamente. Já o secretariado de Alexandre Arraes desnudará duas fazes: A de trabalhar ainda mais e a de trabalhar fazendo política. O time que Alexandre montar agora será o time que ele levará a campo para tentar eleger seu sucessor. Presume-se que seja o melhor time a seu alcance, sem demérito para os que estão atualmente desempenhando suas funções. O fato é que todos falam e ninguém nega que o atual time é inteiramente a 'cara' do prefeito e não necessariamente a 'cara' de todo o grupo. Muito provavelmente, isto explique o fato de haver tantas obras e um reconhecimento aquém do esperado pelo próprio prefeito. "Se dependesse apenas de obras, Alexandre estaria muito bem".  revela um opositor em reserva.
Fato notório, nem sempre trabalhar muito é ser popular na mesma monta. Alexandre faz obras mas não faz tantas visitas. Também não solta fogos nem dá as famosas 'bicadas' em público. É mais reservado do que alguns prefeitos populares que administraram Araripina. Provavelmente por isso, terá que montar um time de frente que, além de ser técnico, terá que ser político. Em outras palavras: O time terá que ser como guiné e não como pato. Ou até mais exagerado ainda: Antes de ovo sair fora, o barulho já precisa ter chegado na Serra do Inácio e na Lagoa do Arroz, bem depois de Nascente.

Quanto ao secretariado a ser indicado por Paulo Câmara, mesmo que não seja tão político agora, certamente será melhor para Alexandre Arraes tanto quanto for à feição de Eduardo Campos. Quanto mais integrantes do núcleo duro eduardista nas pastas importantes, mais facilidade para Alexandre despachar nas secretarias - e mais obras também. Há uma diferença nos últimos dois anos: Mesmo não sendo candidato à reeleição, Alexandre terá que ficar mais aqui e menos lá, pois seu sonho maior é ser deputado federal em 2018. Para tanto, terá que usar os dois últimos anos para massificar a imagem de gestor operoso e próximo. E é agora ou jamais. Ao que tudo indica, muitas manchetes do prefeito visitando obras serão lidas pelos leitores de todos os blogs, ou de quase todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário