sábado, 15 de novembro de 2014

Dilma não tem nomes para escalar. Os corruptos preferidos estão encrencados. Ela também.


O governo petista abusou tanto na arte de roubar que está ficando sem corruptos desimpedidos para escalar. O Ministério de Dilma para o segundo governo, ao que tudo indica, será um mar de ilustres desconhecidos, ou inexpressivos. Isso pode ser bom. A maior parte dos que aparecem nas fotos e filmes ao lado da presidente e de Lula está envolvida em escândalos. Só na Operação Lava-Jato são mais de 100 os graúdos citados até agora. Quando a mesma operação descer a lupa para os escalões inferiores, onde se opera poços menos famosos, os menos famosos se mostrarão até mais endinheirados. A polícia descobriu que um parafuso chega a custar 20 vezes mais caro quando a Petrobras é a compradora. Ou seja: O 'Bolsa Petróleo' da turma que compra peças para manutenção nas praças mais distantes da sede da Estatal pode ser até mais atraente para a turma do PT e apaniguados. E não é por outro motivo que aparecem defensores (enfurecidos) dessa espécie de gente nas redes sociais. Dinheiro vivo! Fora disso é alienação ou briga paroquiana.
A foto acima é a Veja desta semana. Retrata os donos ou dirigentes de grandes empreiteiras envolvidas no esquema bilionário de desvio de recursos nos últimos doze anos de governo petista. É só uma parte. Petrobrás é só um detalhe. Virão outros detalhes. Detalhes da Transposição; Detalhes da Transnordestina, Norte-Sul; aeroportos da Copa, estádios da Copa, portos, recapeamento de estradas. Tudo, enfim. Você, se petista convicto, ainda sentirá muita vergonha do voto que deu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário