segunda-feira, 13 de outubro de 2014

"E o couro do bode?"


Eu tenho um amigo e parente que é a piada pronta em pessoa. Repete coisas de forma tão engraçada que nem cansa e por cima vira bordão. Roberto Lacerda, ou Nego Beta para os íntimos, já chegou a acordar a esposa Betânia em plena segunda-feira com a mesma pergunta com a qual a fez dormir no domingo, depois da pescaria: "E o couro do bode?"
Betânia só não jogou-lhe um penico cheio na cara  porque não se usa mais isso.
Pois bem. "E o couro do bode?" é uma pergunta que se faz por aqui para cobrar resposta e devolução de algo que sumiu e ninguém deu conta ainda.  Nego Beta pergunta a quem bem entender só para sacanear mesmo. Para divertir, acima de tudo. No caso de Betânia, para começar o dia sorrindo.
Mas o ex-presidente Lula vai fazer essa pergunta a dona Dilma na hora que as urnas do Brasil começarem a mandar o recado final de forma bem diferente.
Lula confiou a Dilma um mandato de quatro anos certo de que a ex-guerrilheira iria devolver a cadeira em 2014. Errou feio. Fez trato com o 'diabo'. Aliás, Dilma não cumpre trato porque não é petista da gema. Quem fundou o partido cumpre trato até sentado nas brasas do inferno - sabe dos riscos.  Por não cumprir tratos, a gerentona levou o PT a sofrer derrotas por todo o País, a perder 30% das cadeiras que ocupa (e suja) no Congresso e, por cima, causou uma morte imperdoável. Todos sabem que jamais Eduardo Campos seria candidato caso Lula estivesse na disputa. Provavelmente o neto de Arraes seria o seu vice e não teria feito aquele voo.
Mas Lula vai fazer a inevitável perguntar a Dilma quando a petralhada for tangida do comando dos cofres, sobretudo da Petrobras: "E o couro do bode, desgraça!". E só vai assimilar a derrota por um simples motivo: Ganhar com Dilma é perder duas vezes. Jamais um petista, nem mesmo Lula, teria coragem de disputar eleição depois do fiasco geral de um segundo mandato dessa senhora. Perder com Dilma agora, para Lula, significa perder apenas um anel. Afinal, um dedo ele já perdeu para o torno mecânico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário