segunda-feira, 30 de junho de 2014

Aécio e Aluísio: Política café com leite oferece um 'pão com pão' na chapa mineiro-paulista.


Eduardo Campos não terá do que se reclamar da escolha de Aécio Neves na composição de sua chapa presidencial. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) foi confirmado na manhã desta segunda-feira (30) como o vice na chapa presidencial do tucano Aécio Neves. Ex-deputado estadual, federal, ministro de duas pastas (Justiça e Secretaria-Geral da Presidência) na gestão Fernando Henrique Cardoso e secretário de José Serra na Prefeitura de São Paulo e no governo do Estado, Aloysio, 69, foi escolhido após fracassarem as tentativas de Aécio de usar a vaga de vice para atrair mais um partido de porte grande para a sua coligação.
Eduardo Campos, o outro adversário de Dilma, foi mais rápido e feliz na composição da chapa. Trouxe simplesmente para sua vice a terceira colocada na campanha eleitoral de 2014, a ambientalista e ex-senadora e ministra de Lula, Marina Silva.
Aécio acaba de provar que a reedição da política café com leite, aquela que tenta unir os votos de São Paulo e Minas para se contrapor ao resto do Brasil, desta vez virou sanduíche de pão com pão. Que seja bom apenas para Eduardo Campos e que sirva para o eleitor mais consciente, aquele que conhece as fragilidades do governo petista, fazer logo uma escolha pragmática no primeiro turno, a fim de levar para a disputa final com a turma da papuda um candidato com chances reais de vencer e de governar sem muitas tensões. O Brasil precisa vencer a estagnação e os preconceitos. Eduardo se mostra mais apropriado para o momento.

Luan Santana fez o Parque de Eventos ficar pequeno. 'Sessenta mil pessoas', afirmou o artista.


O artista do momento para a turma jovem, Luan Santana, foi o ponto mais alto do São João de Araripina 2014, dividindo a honraria com as bandas renomadas Aviões do Forró e Garota Safada. Ele provou que o Parque 3 Vaqueiros já está pequeno ou que a administração municipal 'exagerou na dose' na hora de escolher as atrações. A oposição, a quem compete criticar, deve escolher o melhor discurso para se opor a maior festa junina do interior do Estado.

O fato é que 'não coube' o povo, restando provado que a festa cresceu mais que o Parque e que cabe ao prefeito Alexandre Arraes buscar uma solução adequada para a Vaquejada, pois já coube a Luan Santana, que entende de público, fazer as contas. Segundo o artista, 'mais de 60 mil pessoas estavam na festa' e 'as porteiras precisaram ser fechadas' porque não cabia mais ninguém. Foi assim que reagiu a estrela do momento ao se emocionar com tamanho e recíproco público. r

Luan destaca Araripina em sua página no Facebook


"Araripina PE, o que dizer?! Simplesmente recorde histórico de público..portões fechados, gritos, sorrisos e muita emoção! Vocês foram maravilhosos". Assim comentou Luan Santana no seu perfil. Nada menos que 37 fotos foram postadas na página do artista apenas num primeiro momento. outras seguiram no mesmo ritmo. Imagens belíssimas de Araripina.
 Milhares de fãs curtiram e comentaram, muitos pedindo para a 'galea' daqui adicioná-los no facebook..

A festa e a oposição
Oposição sempre critica, sempre torce por uma faixa de protesto - ou a coloca, mas sempre faz festa e quer fazer melhor quando chega ao poder. Natural. Mais que natural. Lula Sampaio se elegeu prefeito falando mal das festas de Bringel. Quando sentou na cadeira e pegou a caneta, lembrou logo de Vitor e Leu.
Este ano a luta foi mais ferrenha, por ser véspera de período eleitoral. A licitação foi denunciada, uma espécie de manobra para desencorajar os empresários que alugam palco e barracas, ficando a insegurança como tempero. Os blogs ligados ao deputado Raimundo Pimentel falavam que a festa custaria 6 milhões de Reais. O prefeito emitiu nota esclarecendo que a licitação em curso atenderia a dois anos de eventos - duas festas juninas, duas vaquejadas, duas exposições e outros eventos de distritos. Não teve refresco. Por pouco a festa não foi cancelada. Restou a restrito grupo que torcia contra contra colocar algumas faixas no final do show de Luan Santana. Até agora não apareceram nas redes sociais, nem apareceu alguém para reinvindicar o protesto. Talvez apareçam quando a eleição esquentar.

ECONOMIA E ESPERTEZA
A crise financeira que afeta o Brasil é a maior dos tempos modernos. Este mês de junho foi o pior que se teve notícia para o comércio, indústria e serviços. Isto ficou evidenciado em vários momentos - Culpa de Dilma e da turma que está mandando no Brasil de dentro da Papuda.
Por outro lado, alguns barraqueiros sem uma exata noção da crise não entenderam o momento e tentaram cobrar R$ 20,00 por mesa no Parque de Eventos, alegando que as mesas eram alugadas. Resultado: A turma mais nova e 'esperta' comprou a bebida nos mercadinhos e levou para perto do palco. É preciso haver uma regra mais clara para isto. A festa é um conjunto, inclusive de harmonias. É lugar para todos terem alegria e alguns obterem seus lucros, inclusive amorosos, financeiros e eleitorais.
Na próxima, deve-se levar em conta todos os fatores. Os barraqueiros precisam entender que o visitante não é banqueiro e cobrar um preço que todos possam e aceitem pagar pela bebida e pelo petisco - mesa e serviço, nem penar em cobrar. Aí ficará bom para todos. Até para quem é de oposição.

Alexandre e Roberta
O prefeito Alexandre Arraes é discreto. Bem diferente de outros que passaram pelo poder em Araripina. Poderia ter comprado uma tonelada de fogos e ensurdecido a oposição na hora das principais atrações, aparecendo ao lado de artistas famosos em fotos e filmetes. Poderia até ter amplificado aplausos no sistema sonoro contratado pela prefeitura, como muitos fazem. Preferiu ser discreto. Cada um tem seu estilo.
Alexandre tem seu estilo e não vai mudar. Nem é na festa que ele mais aposta para eleger deputada a esposa Roberta. A festa ele diz que fez para manter a tradição e firmar Araripina no cenário nordestino e nacional, coisa iniciada nessa ordem de grandeza por Dionéa Lacerda. Para eleger Roberta ele adotou outra linha de atuação. Dizem que está calçando as periferias e que vai asfaltar boa parte da cidade quando acabar a Copa. Enquanto isso, a primeira-dama anda mais que má notícia pela região, amarrando novos apoios, inclusive tirados das costelas eleitorais do seu principal rival.
Resta saber quem Alexandre Arraes adotará como seu principal oponente em Araripina. Lula Sampaio que apoia Romário Dias e Socorro Pimentel que apoia o esposo Raimundo são os dois da lista restrita. Leonardo Farias e Boba Sampaio, que estiveram do outro lado na eleição passada, hoje estão no time de Alexandre e Roberta. Já curtiram o São João do msmo lado.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

2014: OS SINAIS DE DESESPERO OU DE DESTEMPERO E AS BAIXAS NAS BASES

Roberta Arraes estaria 'invadindo' as bases de Raimundo Pimentel e a militância do deputado devolvendo em ataques.

Muitas vezes os candidatos, sobretudo os detentores de mandato, pagam preços elevados em virtude de atos impensados de seus seguidores e até de auxiliares próximos.
Os ataques pessoais, ou divulgações de fatos distorcidos, muitas vezes têm efeitos contrários no médio prazo, terminando por sepultar personalidades.

As afirmações acima podem justificar o que vem ocorrendo de forma evidente em Araripina e o que pode está por vir. Explica-se: Enquanto um lado apanha nas redes sociais, o outro sofre baixas significativas nas suas bases. Há que se conferir o noticiário sobre a radiografia eleitoral no Araripe envolvendo Raimundo Pimentel e Roberta Arraes. Se as fontes não falham, um vai crescer e o outro vai encolher severamente.

Em Araripina, o grupo do deputado Raimundo Pimentel se esfacelou, com Lula Sampaio passando a apoiar Romário Dias e o irmão Boba declarando apoio a Roberta Arraes, um prejuízo eleitoral ainda indefinido para Pimentel. Em outras cidades da região, fala-se em baixas ainda mais significativas que não foram noticiadas. Tudo a conferir. Aguardem novas informações.