sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Sucessão pernambucana: Sérgio Guerra retorna ao lugar de onde nunca saiu


O deputado federal Sérgio Guerra, ex-presidente nacional do PSDB, atualmente presidindo o tucanato pernambucano, fez um daqueles movimentos 'memoráveis' de 'zero grau' e retornou ao lugar de onde nunca saiu: o grupo de Eduardo Campos. Guerra declarou apoio, embora nunca tenha criticado qualquer ação ou omissão do campeão de popularidade entre os governadores da atual safra nacional, e também não conseguiu silenciar os estridentes deputados Terezinha Nunes e Daniel Coelho, também de seu partido, cujos mandatos estão associados (e dependentes) aos esperneios clássicos que visam passar a mensagem de altivez e independência - protocolar. Portanto, tudo mudará para que continue como sempre esteve: Sérgio Guerra e o grosso do que restou do tucanato no interior com Eduardo Campos e os dois deputados mais estridentes da assembleia legislativa tentando salvar seus mandatos com a aura oposicionista. Cabe informar que Sérgio Guerra foi o último a oficialmente 'informar apoio' a Eduardo Campos. Todos os políticos tucanos com votos e redutos eleitorais fizeram o movimento de adesão ainda no primeiro mandato do neto de Arraes.
Especula-se que Sérgio Guerra terá dois carros oficiais: Um para receber (se chegar o belo dia) o senador Aécio Neves, com um adesivo 45; e outro para circular sem ser incomodado pelas ruas da capital e do interior, todo enfeitado com o 40 do presidenciável pernambucano. A última parte já integra o anedotário e necessariamente não irá acontecer.
Este blog não precisa explicar nada. O próprio Sérgio Guerra declarou em entrevista que o PSDB nunca fez oposição orgânica a Eduardo Campos. Não disse nenhuma novidade para os leitores deste blog.

EFEITO PRÁTICO
Na prática, o anúncio de adesão do PSDB apenas respaldou o ingresso de quadros técnicos e políticos do partido no governo Eduardo Campos. Como na política não existe lugar vazio, os tucanos 'atolaram' o pé onde os aliados de Armando Monteiro estavam pisando até dias atrás. Implica dizer que lideranças do interior começarão a circular com mais desenvoltura nos órgãos oficiais a partir de agora.
IMPENETRABILIDADE: Também é verdade que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço a um só tempo. A menos que os DETRANS do interior do estado comecem a 'rasgar' a Lei de Newton.

Nenhum comentário:

Postar um comentário