sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ingleses debocham do país que festeja leilão de um lance só. Enquanto isso, Eduardo Campos chega a 20% no IBOPE real.


Lembrei insistentemente de uma frase antiga: "É com banana e bolo que se engana o tolo!" Dilma acredita nisso. Tanto é que manda banana e bolo para os tolos brasileiros e entrega nosso petróleo aos chineses num leilão sem concorrentes nem precedentes.
Postei sobre aí embaixo, logo após o resultado do falso leilão da Petrobras. Esperei a turma que entregou o tesouro aparecer festejando, usando lorotas para enganar a turma que vive da bolsa e para calar a imprensa que come caviar vindo do Planaldo Central.
Juntem os fatos e concluam como outros: Para distrair a turma mais atrevida, chamaram o IBOPE que topa tudo para encontrar uma vitória no primeiro turno para a mulher que arruinou uma empresa gigante que pratica monopólio, que por coincidência é a mesma mulher que quebrou a única empresa que criou: Uma loja de 1,99 no Rio Grande do Sul. Falo de Dilma, claro.
Deu saudade do tempo que FHC queria colocar um BRAX no final de Petrobras, uma forma de tornar a empresa brasileira com um nome mais compreensível para investidores internacionais. O PT, à época, caiu de cinturão nas costas dos tucanos. Hoje, contudo, em vez de apenas mudar o nome para PETROBRAX, os petistas, corruptos e incompetentes, doaram nossas riquezas e por cima abriram a possibilidade de a China,agora dona do nosso minério, sendo o grande consumidor, forçar a queda dos preços do nosso ouro negro. Dilma e sua turma chamam isso de "Partilha" - já abominou no passado chamando de privatização. É como se o dono de uma farinhada em Araripina vendesse a roça de mandioca ao consumidor final que mora lá nos confins do Pará. É coisa de burro. Ou, usando outro produto de cá, como se os donos de calcinadoras e mineradoras vendessem suas minas de gesso aos donos das grandes construtoras de Recife e do Eixo Rio-São Paulo. É coisa de burro mesmo. No caso, burro e corrupto.
Alguém está levando vantagem nisso, menos o povo brasileiro em geral.

EDUARDO CAMPOS CHEGA AOS 20% NO IBOPE REALO governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) chega aos 20% de preferência eleitoral na corrida sucessória antes da virada do ano. Apresenta-se, assim, como quase virtual candidato imbatível a um ano do pleito.
Está se desenhando um quadro em que Aécio Neves, já provavelmente ultrapassado pelo pernambucano, vai chegar à conclusão de que não é páreo para ninguém, nem mesmo para Serra, e jogará a toalha, passando a cuidar da eleição de Minas, para onde deve retornar, a fim de evitar que os petistas tomem conta do seu território de montanhas e minas.

AOS NÚMEROS REAIS DO IBOPEÉ tido e havido que o IBOPE faz qualquer negócio com qualquer governo. Não é novidade que a empresa que negocia resultados de pesquisa subtrai metade das intenções de voto dos candidatos que se opõem a seus patrões. Agora mesmo, outra vez, está provado.
Na penúltima rodada, o IBOPE achava apenas 4% para Eduardo Campos, enquanto o DATAFOLHA já encontrava 8%. Portanto, oito por cento representa o dobro de quatro por cento achado pela empresa que faz negócio. Na última rodada, o IBOPE acaba de diminuir Eduardo Campos para 10%. Com tudo que houve de favorável, inclusive um DATAFOLHA que lá atrás já encontrava 15% para o pernambucano, é certo que o neto de Arraes já chegou a 20%. Vinte por cento é o dobro de DEZ informados pelo IBOPE.
Já está na hora de algum partido sem medo de cara feia começar a acionar na justiça esses trambiqueiros que doam o pré-sal e também os que vendem pesquisas fatutas.

CENÁRIO IDEAL SE APROXIMAPara melhor enfrentarmos a turma que assalta o Brasil, terminará acontecendo algo que previmos dias atrás: Desistência da candidatura tucana e realização de SEGUNDO TURNO logo no PRIMEIRO, e já a partir de janeiro de 2014. Desta forma, com um só candidato de oposição nas ruas, este terá condições de deslanchar rápido, capitalizando politicamente os fracassos petistas. Todos da oposição amparados em Eduardo Campos, com o atual governador de Minas, Antônio Anastasia(PSDB) de vice. E mais: Serra senador por São Paulo e Marina senadora pelo Acre. É muito estranho acreditar que todos os homens e mulheres de bem deste País vão perder a eleição para trambiqueiros que entregam a Petrobás a chineses e para donos de empresas de pesquisas que forjam resultados.

O PRÉ-SAL E A VERSÃO INDEPENDENTE DOS INGLESES
O resultado do leilão do pré-sal, realizado na última segunda-feira, voltou a ser destaque na imprensa europeia. Em artigo publicado na edição desta sexta-feira do jornal britânico Financial Times, o chefe da sucursal brasileira, Joe Leahy, questiona o comportamento do governo ao comemorar o resultado de um leilão que teve apenas um concorrente. "Algo está errado com a formulação das políticas no Brasil", diz o texto, que classifica o resultado da oferta como "medíocre".

Com o título "Por que políticos brasileiros enalteceram o leilão com um lance", Leahy ressalta que o mais preocupante é a satisfação com um "leilão que não foi um leilão", em suas palavras, e que isso poderia estar escondendo, na verdade, sua decepção com o pleito. "O governo está aliviado com o resultado medíocre", diz o texto. Leahy justifica que, com mais concorrência, o resultado, até mesmo para o próprio governo, teria sido melhor. Para ele, a situação de proposta única pode ter prejudicado a Petrobras, cujas finanças estão não estão boas, e que, por isso, não puderam ser mais "generosos" com o governo.

O artigo ainda compara o leilão de Libra com outros fenômenos conflitantes da economia brasileira. "De fato, tais resultados são cada vez mais comuns com o governo fazendo malabarismos com tantos objetivos conflitantes. Ele está tentando reduzir a inflação enquanto enfraquece a taxa de câmbio. Está aumentando o gasto público enquanto aumenta as taxas de juros. E, na indústria do petróleo, tenta aumentar a participação do estado ao mesmo tempo em que tenta atrair o setor privado. Até o governo já não parece tão certo sobre o que realmente está tentando conseguir", diz o texto.
(VEJA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário