sexta-feira, 19 de julho de 2013

Sincronismo lulista: Dilma desaba no IBOPE e Lula volta a falar para afirmar que não tem câncer.

É candidato a candidato. Só assim podemos definir. Se você for nas mais antigas, vai ver que alertamos aqui que Lula estava preparando a base corrosiva para destruir os 'pés de barro' do 'gigante' que ele criou e apelidou de poste. Lula quer voltar. E quer voltar agora, pois sabe que se não for o candidato pelo PT a presidência da República muda de mãos e o PT sai do Planalto rumo ao orfanato, enquanto muitos de seus líderes partem para solitárias prisões destinadas desde já aos mensaleiros.
Pode anotar a cronologia. Lula ameaçou com caravanas pelo País; Lula reuniu-se com sindicalistas no instituto que leva o seu nome; a turma de Lula na Caixa Econômica Federal antecipou pagamento da Bolsa Família e espalhou o boato de que a esmola iria acabar, provocando as ondas de ataques à CEF; as bases ligadas a Lula no movimento Passe Livre incendiaram o País a partir de São Paulo, onde Lula nasceu politicamente; Lula se reuniu novamente com os sindicatos e estes pararam o Brasil por um dia. Enquanto isto, o amigão de Lula com cadeira privilegiada ao lado de Dilma, o Gilberto Carvalho, começou a criar problemas dentro da base ao convencer Dilma a brigar com médicos, com portuários, com aliados interessados nos Portos. Deu nisso. Dilma não tem mais ninguém.
Cinicamente, Lula volta a falar para a imprensa nacional. Afirma que Dilma é sua candidata, mas adverte que não está com câncer. É tudo que os mensaleiros e associados em pânico querem ouvir: Lula está vivo e na disputa.
Anotem aí: Dilma pode dizer o que bem lhe for conveniente, mas como guerrilheira que nunca perdeu a essência ela só queria dizer uma coisa ao criador: "Faça o seu último pedido"! O PT está em guerra. Em guerra para não largar o osso gordo, meu amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário