sábado, 25 de maio de 2013

Voo CBN

O Diretor-presidente do grupo Grande Serra de Comunicação, José Carlos, deu um passo além, muito além. Hoje é proprietário de uma emissora de rádio no eixo Petrolina-Juazeiro, a antiga Rádio São Francisco. Fechou com o sistema Globo de Comunicação e será na região a famosa Rádio CBN. Para comandar a parte regional da programação jornalística, será recrutado um âncora de qualidade de Petrolina e outro de Juazeiro, forma encontrada para não gerar ciumeira. O estúdio ficará em Petrolina e a torre em Juazeiro.
Zé Carlos tem mesmo vocação e arrojo. É uma espécie de Chatô do Sertão, apelido pelo qual era conhecido o fundador dos Diários Associados.
A força do Sistema GS está sendo demonstrada logo na entrada da Fenara, onde o empreendedorismo local tem encontro marcado neste final de semana.

É guerra civil!

Maduro anuncia que irá armar a classe operária. O teste com sucesso da "Caixa" feito no Brasil deve ter estimulado o venezuelano.


O presidente venezuelano, Nicolás Maduro (foto abaixo), ordenou às Forças Armadas que armem a classe operária para reforçar a defesa da soberania nacional e garantir a “estabilidade da Revolução Bolivariana”. Em um ato oficial televisionado na noite de quarta-feira, o governante anunciou que entregará até dois milhões de armas para operários e reiterou que o país deve articular força suficiente para “se fazer respeitar”. A oposição pediu que o presidente explique qual a verdadeira finalidade da medida e qualificou o gesto de irresponsável e intimidador.

- A classe operária será cada vez mais respeitada uma vez que esteja mais consciente e produtiva - disse Maduro na noite de quarta-feira, anunciando que as Milícias Operárias Bolivarianas farão parte das milícias bolivarianas, um corpo criado por Hugo Chávez em 2005. - Seremos ainda mais respeitados se as milícias tiveram 300 mil, 500 mil, um milhão, dois milhões de operários e operárias uniformizados, armados e preparados para a defesa da soberania da Pátria, da estabilidade da Revolução Bolivariana.

A fiação do tucanato continua desencapada


FHC, que ainda se considera articulador político, veio ao Brasil e já 'queimou' Aécio irreversivelmente.

As três frases seguintes foram ditas de uma só vez, sem que ninguém forçasse, por Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, ele que está incomodado com o uso total do tempo de TV do partido apenas por Aécio. É prova de que a fiação do tucanato está toda desencapada, como sempre, e que Aécio não terá chance de crescer nesse ambiente.
“E cedo para lançar candidato”; “Aécio não é o único nome”; “Serra é candidato em 2014” e “só ele pode responder a quê” -, tem-se uma conclusão óbvia: a candidatura de Aécio ainda não está consolidada.

Sempre do mesmo partido. Mais um.

O ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento), um dos mais próximos da presidente Dilma Rousseff e cotado para coordenar sua campanha à reeleição, é acusado pela Procuradoria-Geral da República de ser "autor de delitos" e ter "concorrido ativamente" para o desvio de R$ 5 milhões da Prefeitura de Belo Horizonte em 2004, quando era prefeito da cidade.

A Folha teve acesso ao inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). O caso está sob a relatoria do ministro José Dias Toffoli. Ele deve apresentar seu voto ao plenário do tribunal, que decidirá se abre ação penal. O inquérito analisa as circunstâncias da contratação, pela Prefeitura de Belo Horizonte, da Câmara dos Dirigentes Lojistas local para implantar o projeto "Olho Vivo", que previa a instalação de 72 câmeras para coibir crimes no centro da cidade.

O documento da Procuradoria, datado de março de 2012, é assinado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e sua mulher, Cláudia Sampaio, e acusa diretamente o ministro: "O denunciado [Pimentel] concorreu ativamente para o desvio dos R$ 5 milhões em favor da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte". A acusação contra Pimentel é de "apropriação de bens ou rendas públicas", com pena de até 12 anos de prisão.

Diz ainda a Procuradoria: "A denúncia contém clara e concisa descrição do fato criminoso e dos indícios de autoria, que permitem com segurança apontar o denunciado como autor dos delitos". Em síntese, a Procuradoria afirma que o convênio com a Câmara dos Dirigentes Lojistas foi uma forma simulada de contratação sem licitação, e que o dinheiro foi parar em uma empresa-fantasma.

A Procuradoria corroborou as conclusões do Ministério Público de Minas, que em 2010 denunciou o ex-prefeito e o ex-secretário de Coordenação, Fernando Cabral, entre outros. O caso foi revelado pela Folha em 2005. No ano passado, "O Globo" divulgou que Pimentel havia sido denunciado, mas não revelou em que termos. (Folha de São Paulo)

Protógenes e PFC: Tudo a ver.


Blogueiro investigado tem patrocínio da Caixa que, ao que parece, também será investigada pelo tumulto da Bolsa Família.

O Supremo Tribunal Federal decidiu dar curso à investigação que pretende apurar se a operação satiagraha foi patrocinada e conduzida por empresários interessados em alijar o banqueiro Daniel Dantas do mercado de telecomunicações do Brasil. O ministro Dias Toffoli atendeu esta semana uma lista de pedidos feitos pela Procuradoria-Geral da República. Entre eles estão a quebra de sigilo bancário do ex-delegado e deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) e do sigilo telefônico do empresário Luís Roberto Demarco. O jornalista Paulo Henrique Amorim terá investigada a origem do seu blog.

Demarco, ex-sócio de Daniel Dantas no grupo Opportunity, foi o homem designado pela Telecom Italia para defender seus interesses no Brasil e combater os de Daniel Dantas. Protógenes Queiroz, atuando como delegado da Polícia Federal, conduziu a operação satiagraha, que investigou supostos crimes financeiros de Daniel Dantas e de seu grupo empresarial. Paulo Henrique Amorim, em conexão com Demarco e Protógenes, conduzia uma campanha de mídia contra Dantas. Demarco e Amorim estariam a serviço da Telecom Itália, sócia de Daniel Dantas na Brasil Telecom, com quem disputava o controle acionário da operadora.

Entre outras ordens, o ministro do STF determinou a expedição de carta rogatória à Itália, para obtenção das conclusões dos processos conduzidos pela Procuradoria da República de Milão. Nesse processo, apurou-se que da empresa Telecom Italia foram desviadas altas somas destinadas a subornar autoridades, políticos, policiais e jornalistas do Brasil. Entre os executivos da empresa na Itália, responsáveis pelo “propinoduto”, alguns já foram presos, outros ainda respondem processos e um se suicidou. Embora já se saiba da condenação dos corruptores, até hoje as autoridades brasileiras evitaram ir atrás dos corrompidos.

Será quebrado o sigilo bancário também de José Zelman que, segundo Protógenes, foi quem lhe doou três imóveis (dois apartamentos, um no Guarujá, outro em Foz do Iguaçu e mais uma garagem), no curso da operação satiagraha. A Receita Federal deverá fornecer as declarações de Imposto de Renda de Protógenes e Zelman, de 2005 a 2008. Além da quebra de sigilo telefônico de todas as linhas identificadas como sendo de Protógenes e Demarco, serão levantadas também as ligações feitas e recebidas pela Nexxy Capital (empresa de Demarco) e números da própria Polícia Federal. Dos aparelhos celulares, além das ligações serão recuperados os SMS disparados ou recebidos.

As superintendências da Polícia Federal em São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro deverão informar se Luís Roberto Demarco ingressou nos prédios entre janeiro de 2007 e dezembro de 2008 — e a finalidade das visitas. A empresa de Demarco será investigada também na Junta Comercial de São Paulo. (Conjur)

NÃO PODERIA TER SIDO DIFERENTE.


Um dia antes do início dos boatos que causaram filas e tumultos em 13 Estados brasileiros, a Caixa Econômica Federal alterou, sem aviso prévio, todo o calendário de pagamento do Bolsa Família. Todos os benefícios, em um total de R$ 2 bilhões, foram liberados de uma só vez nas contas das 13,8 milhões famílias atendidas. A informação, confirmada pela Caixa ontem, contraria a versão que o banco estatal vinha divulgando desde o início do caso.


A liberação de todos os benefícios se deu na sexta-feira da semana passada, dia 17. No dia seguinte, movidas por boatos sobre o fim do programa e um suposto pagamento extra pelo Dia das Mães, entre outros, milhares de pessoas foram a agências para sacar o benefício. O tumulto --que incluiu depredação de caixas eletrônicos-- levou petistas a acusar a oposição de estar por trás dos boatos sobre o fim do programa.

Segundo a regra oficial, o pagamento do Bolsa Família é feito de forma escalonada, seguindo a ordem do último número no cartão. Em maio, por exemplo, aqueles com cartão de final "1" receberiam o pagamento a partir do dia 17, e, assim por diante, até os com o final "0", no dia 31.

A Folha descobriu essa mudança no calendário, negada durante toda a semana pela Caixa, por meio de uma dona de casa da região metropolitana de Fortaleza. Diana dos Santos, 34, do município de Caucaia, apresentou à reportagem comprovante do saque do benefício na sexta-feira, o que mostra a antecipação do pagamento em 12 dias. "Recebo Bolsa Família há anos e nunca pagaram antecipado. Aí achei estranho, mas fiquei feliz e peguei o dinheiro. Acho que outras pessoas também conseguiram receber antecipado, foram avisando aos conhecidos e virou essa confusão", disse.

Confrontada pela Folha a Caixa mudou a versão oficial. Afirmou que, por causa de ações em busca de "melhorias no Cadastro de Informações Sociais", o banco "optou por permitir o saque pelos beneficiários independentemente do calendário individual" na sexta-feira, dia 17. A Caixa disse que antecipou o benefício em outras ocasiões, como em calamidades, e disse que não informou os beneficiários sobre essa antecipação do pagamento. Carro-chefe social da gestão petista, o Bolsa Família tem orçamento anual de R$ 23,95 bilhões. Cada família recebe R$ 151,09 em média.

Ainda no domingo, o Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pelo Bolsa Família, divulgou nota para negar o fim do programa e afirmar que o calendário de pagamentos estava mantido. No dia seguinte, a presidente Dilma Rousseff chamou de "criminoso" e "desumano" o responsável pelos boatos. Dois dias depois, o ex-presidente Lula associou a boataria a "gente do mal". Após ordem do governo, a Polícia Federal começou a investigar a história. Entre os casos investigados, estão o de pessoas que dizem ter recebido ligações com gravação eletrônica falando sobre o fim do programa.(Folha de São Paulo)

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Delegada Regional homenageada pela Assembleia Legislativa


A Assembléia Legislativa de Pernambuco – ALEPE, decidiu através de uma proposição da deputada Isabel Cristina (PT) homenagear com Voto de Aplauso, a Delegada da Seccional do Araripe, Dra. Katyanna Alencar Muniz Leite, pela competência na elucidação de crimes e agilidade na conclusão de inquéritos.

Da decisão da ALEPE, e do inteiro teor da proposição, tomaram conhecimento, além da homenageada, o secretário de defesa social do estado, Dr. Wilson Damázio, o diretor do interior II, Dr. Glaukus Menck e o chefe da Polícia Civil de Araripina, Dr. Osvaldo Moraes.

“A delegada Katyanna, tem se destacado na região do Araripe pela determinação e agilidade na conclusão de inquéritos enviados a justiça, contribuído no combate a impunidade e promovendo tranqüilidade a população. Destacar um bom trabalho é uma forma de reconhecimento e incentivo às boas práticas.” Justificou a deputada Isabel Cristina.

Onde já anda o nome de Fernando Bezerra


Beto Albuquerque_divulgação
Líder do PSB na Câmara acusa o governo federal de constranger membros do partido
O líder da bancada do PSB na Câmara Federal, deputado Beto Albuquerque (RS), acusou ontem no Recife o governo da presidente Dilma Rousseff de constranger membros do partido para que não apoiem a candidatura do governador Eduardo Campos à Presidência da República.
Segundo ele, é inaceitável que numa “relação federativa e democrática” projetos encaminhados por governadores e prefeitos do PSB fiquem travados em Brasília “por questões políticas”.
O deputado deu a entender que se referia ao ministro Fernando Bezerra Coelho, que estaria pressionando os governadores do partido a darem declarações contrárias à candidatura de Eduardo Campos.
No entanto, disse que os governadores estão fazendo o jogo do “me engana que eu gosto”. Ou seja, para evitar retaliação, dizem que são contra a candidatura de Eduardo mas, na hora agá, vão fechar com ele, seguindo a posição majoritária do partido.

Com agenda movimentada, prefeito participa da abertura da FENARA e apresenta ações da PMA através de vídeo.


O prefeito Alexandre Arraes participou na noite de ontem (23) da abertura da VII Feira de Negócios Arte e Cultura de Araripina – FENARA que tem organização da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Araripina (CDL) e do SEBRAE com apoio total da Prefeitura de Araripina.

A FENARA é a principal feira econômica da cidade e atrai expositores de outras regiões. A chegada de empresas de fora junto com o forte comércio local aquece a economia da cidade gerando novas oportunidades de negócios e expansão da cidade. Nesta edição estão presentes empresas de Salgueiro, Juazeiro do Norte – CE entre outras cidades.
O prefeito Alexandre Arraes destacou a potência econômica que Araripina vive atualmente atraindo novos investimentos de grandes empresas e também o fortalecimento do comércio e da indústria local. “Um evento como este traz excelentes oportunidades de negócio e é uma prova clara do bom momento que nossa cidade vive na economia”, afirmou.

A VII FENARA acontece entre os dias 23 a 25 de Junho no estacionamento da Autarquia Educacional do Araripe. Ao longo dos três dias 49 stands dos mais diversos segmentos estão expostos a exemplo dos setores de Educação, Veículos e motocicletas, Moda, Móveis, Comunicação, Esportes e Instituições públicas. De acordo com Willian Carvalho, produtor da FENARA somente na primeira noite 3 mil pessoas passaram pela Feira.
“Durante os três dias estamos com a expectativa de receber 12 mil pessoas que vem conhecer as marcas e fazer novos negócios”, afirmou.

Ao lado de muita gente, prefeito  mostrar em vídeo que planeja trabalhar para a maioria.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Joaquim Barbosa disse pouco


Que me seja perdoado, mas o jargão forense se impõe nas circunstâncias: “concessa máxima vênia”, o Ministro Joaquim Barbosa não disse tudo nas suas procedentes críticas ao Congresso, em especial à Câmara dos Deputados.
Não que ele esteja errado no que disse, mas por não ter atingido o que me parece ser o ponto de origem de tudo que assistimos e padecemos hoje em nome dessa “democracia”.
Os deputados, em tese os representantes do povo, seriam frutos da vontade política expressa nas urnas pelos brasileiros.
Os eleitores seriam os titulares dos direitos políticos.
Os deputados seriam apenas os seus representantes, os representantes dos eleitores.
Mas eles, esses deputados todos, se elegem por caminhos que escapam à consciência dos eleitores. O processo eleitoral é escondido, disfarçado.
Todos se omitem na hora de explicitar, de ensinar, como eles são eleitos e que caminhos percorre o voto que lhes damos.
Ninguém diz o que deveria – e que falta – ser dito. Nem colocam as perguntas que precisam ser feitas.


Por exemplo: quantos deputados foram eleitos com seus próprios votos? Na Câmara de Deputados, serão mais de 10% do total? Não acredito...
E mais: será que os brasileiros têm consciência de que nenhum de nós, nem um só eleitor, sabe quem foi eleito com o voto que deu?
Será que todos nós temos consciência de que só nos é permitido saber em quem votamos, mas não temos o direito de saber quem elegemos?
Deputados “foram eleitos”, ou prepotentemente, “se elegeram”. Quem você elegeu? Isso você não sabe.
Nós votamos em quem queremos. Total liberdade, de escolha e de exercício da nossa “vontade política”, democraticamente expressada.
Damos o nosso voto ao candidato “1” do partido “A”, por força de simpatia pessoal, por razões ideológicas, por que um amigo indicou, por que ele é da minha igreja, porque ele botou água na minha rua.
Esse voto que demos, que expressou nossa vontade, nossa afinidade, nossa conveniência, nossa consciência ou convicções pode contribuir para eleger alguém em quem jamais votaríamos, num partido que jamais apoiaríamos, que nunca nos prometeu nada e - sobretudo – que não nos deve nada.
Nosso voto é desapropriado assim que apertamos o botão.
Com essas tais “alianças” e outras manobras de cúpula com fins eleitoreiros, o voto que damos a um candidato a deputado é um tiro no escuro. Pode acertar no que queríamos e pode acertar no que detestaríamos contribuir para que acontecesse.
Como já disse o Deputado Miro Teixeira, pior que esse Congresso só um Congresso fechado.
A lei da “ficha limpa” chegou ao Congresso por iniciativa popular, e lá foi aprovada. Mas não há macaco que serre o galho no qual se pendura: por lei nada disso mudará.
Talvez uma maciça anulação de votos para deputado possa contribuir para deslegitimar de vez essa representação fraudada. Mas acho que isso o Ministro não podia propor...

Edgar Flexa de Ribeiro é educador.

Antes mandava o ouro; hoje manda ferro. Continua comprando o resto.

O Brasil registrou um déficit de US$ 8,3 bilhões nas contas externas em abril. É o pior desempenho para o mês dos últimos 66 anos, desde quando o Banco Central (BC) começou a registrar os dados. De acordo com o relatório divulgado nesta quarta-feira pela autoridade monetária, o rombo nas transações correntes — o resultado de todas as trocas de serviços e do comércio do país com o resto do mundo — cresceu 55% em relação ao mesmo mês do ano passado. O turista brasileiro contribuiu para esse rombo.

No mês passado, o brasileiro viajou mais e gastou mais. As despesas aumentaram 17% em relação ao mesmo mês de 2012. Só em abril, os turistas daqui desembolsaram US$ 2,1 bilhões: recorde para o mês desde 1947, quando o BC iniciou sua série histórica. O que os estrangeiros gastam no Brasil não compensa nem um quarto do que o brasileiro deixa lá fora.

— A massa de salário real cresce em torno de 6% por ano — afirmou o chefe do departamento econômico do Banco Central, Túlio Maciel, ao dizer que o aumento da renda é o principal motivo, já que o câmbio não anda tão favorável aos viajantes. — E boa parte dos destinos turísticos encontra-se em países em crise e surgem as oportunidades de viagens. (O Globo)

Sem comentários

nautico-dilma

Parque de Eventos começa a ser desocupado

A CODEVASF utilizará um pátio da FACIAGRA como depósito provisório das cisternas atualmente expostas no Parque de Eventos de Araripina. Muito provavelmente o local estará livre para obras reparadoras ainda no início de junho, tempo suficiente para que ocorram as festas juninas sem atropelos. Certo disso, as secretarias de Desenvolvimento Rural e Vilas e Distritos marcaram para acontecer no parque a Mostra Equina de Araripina.

Pizzaria Chantagem

Uma semana depois do susto com a MP dos Portos, o Palácio do Planalto foi surpreendido no início dessa noite com a informação de que a base aliada conseguiu as assinaturas necessárias e já protocolou na Câmara dos Deputados a CPI da Petrobras. Ao todo, 199 assinaturas foram conferidas. Para a instalação de uma CPI são necessárias pelo menos 171 assinaturas. O autor do requerimento, deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), trabalhou em silêncio nas últimas semanas e ganhou o apoio de deputados do PP e do PR, além das bancadas de oposição. Quintão era cotado para assumir o Ministério da Agricultura, mas foi vetado pelo PT de Minas Gerais. Para o Planalto, tem o dedo do líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), na CPI da Petrobras. ( Do Blog do Camarotti)

CONTA
Esta, como as outras, dará em pizza. A base vai chantagear Dilma por emendas e empregos do começo ao fim. Também deixará dois relatórios finais prontos. Um bonzinho para apresentar se receber o que cobra e outro mostrando o escândalo para usar em caso de endurecimento do Planalto. De qualquer modo, toda Pizza (CPI) deixa a mesa suja e o tapete sem espaço. É o preço da democracia brasileira dominada por pilantras - os que roubam, os que fingem fiscalizar e roubam também.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Jarbas defende Joaquim Barbosa

Senador diz que declaração de Barbosa, sobre submissão do Congresso e que partidos são ‘de mentirinha’, reflete opinião da população

Maia Limar

BRASÍLIA — O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) foi à tribuna do Senado para se solidarizar com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em função da reação contundente de líderes e parlamentares da Câmara e Senado, contra declarações dadas por ele em palestra a alunos do Instituto de Educação Superior (Iesb), na semana passada. Joaquim Barbosa disse que o Congresso é submisso ao Executivo, ineficiente e que os partidos políticos são de “mentirinha”. Jarbas chamou de infelizes declarações do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de que as críticas do presidente do STF não colaboram para o fortalecimento das instituições democráticas.

— Eu discordo frontalmente da declaração infeliz (de Renan) e acho que a declaração é verdadeira, é o que o povo pensa, o que o povo acha e o que o povo tem dito, reiteradamente, com relação à classe política, aos partidos e a essas duas Casas Legislativas que integram o Congresso Nacional —disse Jarbas .

Da tribuna, o senador peemedebista citou a abordagem da polêmica feita pelos colunistas Dora Kramer, do Estadão, e Ancelmo Góis, do GLOBO. “Neste caso, o presidente do Supremo tem razão. Um sistema partidário com dezenas de partidos, quase todos inodoros, insípidos, assexuados, sem ideias ou ideologia, é, ou não é, de mentirinha? Cartas para a Redação”, diz a nota de Ancelmo lida por Jarbas Vasconcelos.

— Quando ele diz “Cartas para a Redação”, por curiosidade, este orador foi olhar no mesmo jornal, a edição de hoje (ontem) de O GLOBO, que publica cerca de 20 a 30 cartas à redação e, dessas cartas, 13 – o número do PT, inclusive – são de aplausos, de concordância e de referência à figura do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa — disse Jarbas, passando a ler algumas das cartas de leitores publicada pelo GLOBO.

— Será que quem mentiu foi o Ministro Joaquim Barbosa? Claro que não. O Ministro Joaquim Barbosa disse aquilo que todos queriam dizer, ou tudo aquilo que todos dizem e que, muitas vezes, a população não tem condições de ouvir — concluiu Jarbas.

Está tudo como dantes.


Como se dizia na Europa no início do século 19 para ironicamente traduzir a imutabilidade no processo: “Esta tudo como dantes no quartel d’Abrantes”. Assim como em Portugal naquela época, está tudo dominado. Até o (ex) D.João VI de Petrolina está medroso e querendo fugir para o PT, pular a cerca.
Fiquei sem postar por alguns dias. Também fugi da leitura de blogs e jornais. A primeira coisa com que me deparei finda a reclusão intencional foi com a leitura de um texto sabidamente preparado na cozinha de Dilma. Quem lia era um radialista de Araripina, que pelo visto nem se dava conta de que está(va) 'dominado' e a serviço, mesmo sem receber bolsa alguma. E ele falava justamente da revolta dos 'bolsistas', reproduzindo a opinião de Dilma. Como não acredito em idiotice nas bandas daquela emissora de rádio, fiquei com a impressão de que alguém da terrinha está 'apanhando' por tabela para ficar mais 'ligado'.
Nada mudou. Está enfadonho tanto quanto indefinido. Para quem preserva o nome, está difícil opinião. Aparentemente, quem tiver mão mais comprida para puxar no rabo rival é quem vai mais longe.
Hoje voltei aos blogs e o que vi foi o de antes. A provável rendição/traição de Fernando Bezerra é o prato principal e o resto é acessório. O certo é que não dava para imaginar que um político que já mudou de partido quase uma dúzia de vezes viraria ator principal do processo sucessório. Mas virou. Sem forçar a memória, lembrei do imbróglio vivido em Araripina quando Alexandre Arraes assumiu o poder e as consequentes viradas de casaca que aconteciam a cada vez que Lula Sampaio voltava a sentar no trono. Já tinha gente com uma camisa laranja e outra amarela dentro da bolsa ou socada na calça. Transportando o caso para Recife, vem à memória Diana do Pastoril, ou Diana Sonhadora. Fernando Bezerra é a nova Diana - Uma roupa para Eduardo e outra para Dilma, a depender de onde esteja e com quem esteja. A vida do ministro vai virar uma comédia caso Ariano Suassuna se interesse pelo caso.
Decida aí se a gente continua falando de política ou se passa a publicar receita de cajuína. Mas curta Diana do Pastoril. É oportuno. Até para explicar a razão da falta de gosto momentâneo pelos temas em voga.

Para quem esqueceu a letra de Diana Sonhadora
"....
De uma Diana sonhadora que divide
a sua roupa com as cores da vitória

Será vermelho? Será azul?
Quem se conforma escolhe um
Mas a Diana é quem está certa
Pois viver dos dois cordões é ter a vida sempre em festa"

A 'CLASSE MÉDIA' DE DILMA ESTÁ SOB DISCUSSÃO. OUÇA A JORNALISTA DO SBT.



"E se a bolsa, de fato, acabasse?

E se o poço, simplesmente, secasse?

O que seria desses milhões sem educação, sem emprego, sem profissionalização, totalmente dependentes do poder público?"

AMPLIANDO O DEBATE:
E se a verdadeira classe média resolvesse cortar o envio de impostos?
E se a verdadeira classe média resolvesse descontar de seus impostos o que de fato gasta com educação e saúde?
E se o Supremo Tribunal Federal respaldasse alguma associação de chefes de família para que só pagassem imposto de renda somente ao final do ano, depois de descontadas as REAIS despesas que o governo deixou de cobrir com saúde e escola - tudo via LIMINAR?

Neste caso, os políticos aceitariam abdicar de suas regalias e salários para sustentar a 'classe média' inventada pelo PT?

Eis a prova de que tudo está no caminho errado e muito arriscado. Eis a prova de que não haverá nenhum controle mental das massas. A 'classe média' ilusória, sem espaço nem conhecimento foi à caixa e antecipou sua bolsa. Bastaria à classe média que trabalha e produz pedir concordata coletiva por pura insolvência. O PT, às pressas, teria que criar empregos e ao mesmo tempo qualificar a turma do andar que imagina dominar (pela mente) para se perpetuar no poder. Não existe saída fora da divisão da carga de trabalho. Não se pode acreditar num sistema em que 1/3 das pessoas trabalham para que um partido político, a fim de se perpetuar no poder, use o produto financeiro deste trabalho em projetos de tapeação da maioria desprovida de tudo, inclusive de saber e amor próprio.
Para que não distorçam, vale ressaltar: Esta bolsa é muito insignificante. A turma que hoje vive sem ela merece dez vezes mais. Precisamos trabalhar juntos, todos, inclusive os bolsistas, para que isto seja possível.

Se você ainda não viu o vídeo mais abaixo, aproveite o momento para vê-lo. E também para entender o processo como um todo. Ou fique por aí discutindo buraco de rua ou a cor da linha das cortinas do gabinete da prima do irmão do vereador de Idiotonópolis do Norte.

PROGRAME-SE, POIS ARARIPINA ESTÁ DE BRAÇOS ABERTOS.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Ouviu atentamente? Se não ouviu não leia.

Cheguei a um ponto de 'murcha permanente' das esperanças no Brasil. Voltei a acreditar no País depois que os 'bolsistas' da Bolsa Família quebraram o protocolo e o 'trato', indo atrás de seus 'direitos'. Se você não ouviu o 'professor' abaixo, ou se ouviu e não entendeu, é muito provável que esteja entrando no blog errado. Acho aconselhável você ouvir outras opiniões acerca de seu QI. 'Maínha' e 'paínho' costumam criar superdotados ilusórios onde habitam suas crias. Não estou mais interessado em escrever minhas besteiras para quem não está convencido do que pensa ou não entende o que está implícito. Acho que é hora de depurar, filtrar.
Antes de continuar discordando de mim, recomendo que ouça novamente o vídeo abaixo ou que mude de hábito matinal. Não estou chutando o traseiro de leitor, mas apenas alertando que mudei de ideia sobre o Brasil em menos de 24 horas. Bastou um episódio para que isto acontecesse. E foi justamente o episódio que 'preocupou' as autoridades. Eu explico. Mas continuo achando que você deve  ouvir o vídeo abaixo para me entender melhor.

Oito anos de FHC, oito anos de Lula e dois de Dilma. Este é o longo período de domínio mental, de quebra dos valores, de destruição da família e de emburrecimento do País. A derrota de FHC e a revolta dos bolsistas, 'felizmente',  provam que este plano também falha.

A tentativa de destruir os valores vem de longe. FHC perdeu uma eleição à prefeitura de São Paulo por negar Cristo e também por defender a legalização da maconha. Num lance de ousadia e esperteza, espalhou dinheiro e usura com o Plano Real e comprou a maioria, chegando a se eleger presidente da República. Também manteve bigamia sob as barbas da imprensa. FHC, contudo,  teve a dignidade de preservar a imprensa livre. Sob Lula e sob Dilma, o poder central vem tentando destruir os principais alicerces da democracia. Só não contava com uma pedra que ele mesmo colocou no STF, que se chama Joaquim Barbosa. Lula banalizou a corrupção, manteve uma "Rose" com dinheiro do contribuinte, tentou e tenta destruir a justiça e a oposição e  reduziu à metade (por enquanto) a importância do mérito para ingresso na Universidade. Sob Dilma, avança tudo que é pecado segundo os valores Cristãos.  Sem detalhes, pois Feliciano diz tudo. FHC sempre volta da Europa com mais um título de onde brotará um semelhante para Lula. E sempre volta falando de maconha, forma mais cretina que encontra de se aproximar da juventude e dos elementos nocivos, e também de dominá-los mentalmente, ou pelo menos não perder o 'link'.

Eis que, quando tudo parecia dominado, quando iam-se as últimas esperanças no futuro do País, os bolsistas, justamente os bolsistas, emitiram o sinal de que não é bem assim e de que a cartilha pode ser falível. Foi por isto que postei o vídeo abaixo e dei um tempo. Foi por isto que não falei nem postei fotos da Caixa Econômica arrombada em vários pontos do País, inclusive na pacata Araripina.

Posso até está errado, mas acho que ainda não conseguiram emburrecer completamente o povo brasileiro como eu e muitos outros acreditavam. Acho que não vão conseguir fazer com que milhões de jovens se contentem apenas com uma mísera bolsa, que vem com o vírus que anula o futuro das pessoas.

Animo-me ao  achar que a tentativa de domínio mental das massas ainda não foi possível nas bandas do Sul. A apertada vitória fraudulenta do chavismo na Venezuela prova que nem lá isto foi possível. Não serão médicos cubanos nem bolivianos que, receitando suas 'ervas' e espalhando um discurso maniqueísta  conseguirão empobrecer ainda mais a nossa cultura e anular as nossas chances.

A reflexão ainda prevalece neste blog. Ando me perguntando se vale a pena defender alguma bandeira nacional, se todos vêm da mesma linha de montagem política. Dilma é filha da guerrilha comunista e de Lula; Aécio é neto de Tancredo e 'afilhado' de FHC; Marina é petista rejeitada e Eduardo Campos é também do mesmo campo de ideia.
Continuo esperançoso com o último. Ele deu demonstrações em Pernambuco. Também lembro que lá no passado o seu avô Miguel declarou o seguinte: "O meu PMDB não é o PMDB de Tancredo". É nisso que estou apostando, embora não saiba ao certo qual era o PMDB de Tancredo.

sábado, 18 de maio de 2013

RP ternurado

O deputado Raimundo Pimentel foi ternurado pelo ex-secretário Ranilson Ramos no apagar das luzes de seu reinando na secretaria de Agricultura. Antes de sair para o TCE, presentou o deputado com mais de 80 poços e quase mil horas máquinas.
Quem se deu bem em Araripina foram os suplentes de Morais. João Doutor e Roseildo ficaram com a maior cota - 3 poços cada. Luis Henrique teria conseguido indicar apenas um. Evilásio Matheus, depois de famoso com o uso das próprias asas, não pegou nem resfriado. O mesmo ocorreu com Aurismar Cordeiro e Genival da Vila. Estes são comprometidos com a candidatura de Fernando Filho e estão com uma CODEVASF paralela a serviço de suas bases.

AGORA FICA?
Tudo isto ocorre após o Meu Araripe publicar que o deputado estaria com os dias contados no PSB. Fica a pergunta: Agora fica? Já tem até gente tentando costurar a chapa Pimentel-Ricardo. Setembro é logo ali e tudo dependerá do que Eduardo Campos decidir. Se precisar mesmo da unidade em Pernambuco (com apenas FBC fora), tudo indica que o 'segura-abafa' será de longo alcance.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

São João vai começar a esquentar Araripina


São João dos bairros terá 16 arraiás em trinta dias de muito forró
A Prefeitura de Araripina, através da Secretaria de Cultura promove a partir de amanhã (18) o São João dos Bairros. Ao longo dos próximos 30 dias serão realizados 14 arraiás pelos bairros da cidade e nos distritos.
Ao longo destes dias haverá apresentação das quadrilhas juninas nas categorias mirins e juvenis e também muito forró e diversão para os bairros que ficarão decorados para receber os quadrilheiros e toda a população. O primeiro arraiá será no galpão da feira do feijão amanhã (18) a partir das 19hs com a apresentação das quadrilhas como a Flor do Sertão.
De acordo com o Secretario de Cultura Lídio Santiago serão 16 quadrilhas juninas de vários bairros da cidade e dos distritos além da participação de quadrilhas juninas da região do Araripe, a exemplo de Trindade e Santa Cruz.

MUITO FORRÓ E ANIMAÇÃO
Confira onde e quando o forró e as quadrilhas levarão alegria e muita festa para os moradores:
18/5 – Galpão da Feira do Feijão
19/5 – Vila Santa Maria
24/5 – Sítio Dnocs
25/5 – Alto da Boa Vista
26/5 – Conjunto Bela Vista
30/5 – Vila Bringel
31/5 – Jatobá
1º/6 – Bom Jardim do Araripe (Rancharia)
2/6 – Zé Martins
6/6 – Conjunto Nossa Senhora da Conceição
7/6 – Rua 11 de Setembro
8/6 – Lagoa do Barro
9/6 – Santa Bárbara
13/6 – Escola de Aplicação
Para o prefeito Alexandre Arraes as quadrilhas juninas são a manifestação cultural mais tradicional do povo sertanejo e o São João dos bairros é o momento em que elas se apresentam para todos aqueles que gostam do forró e da dança junina. “A alegria do São João vai ganhar as ruas da cidade, dos bairros e distritos levando o nosso forró e danças juninas reforçando a nossa cultura sertaneja”, destacou.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

BRASÍLIA: Quase meio milhão novamente na cueca


Passageiros de voo são presos com R$ 465 mil na cueca em Brasília

Dois homens tentavam embarcar no aeroporto em direção ao Rio
Jailton de Carvalho e Evandro Éboli, O Globo
A Polícia Federal flagrou nesta quinta-feira de manhã dois homens tentando embarcar num voo de Brasília para o Rio de Janeiro com R$ 465 mil em espécie escondidos em meias, cuecas e outras peças de roupa. Um dos homens, que se identificou como Michel, disse ao GLOBO que portava R$ 229 mil.
O economista e empresário Eduardo Lemos, dono da Fides Advisor Consultoria Financeira, se apresentou como dono do dinheiro. A polícia abriu inquérito para investigar a origem dos recursos.
Em 2005, um funcionário do deputado José Guimarães, atual líder do PT na Câmara, foi preso com dólares na cueca no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, pouco antes de embarcar para Fortaleza, num caso que ficou conhecido em todo o país.
Guimarães, irmão do deputado José Genoino, réu do mensalão, chegou a ser processado por improbidade administrativa, mas foi inocentado em 2012 pelo Superior Tribunal de Justiça.

Ouricuri comemora seus 110 anos de emancipação política

ouriesta
Ouricuri vivenciou nesta terça-feira (14) mais uma data especial: 110 anos de emancipação política. A prefeitura do município realizou uma grande programação que começou ás 05 horas da manhã com alvorada. A partir das 09h houve o hasteamento das bandeiras, pronunciamento das autoridades, desfile cívico, atividades sócio/culturais e várias apresentações artísticas. Essa programação se restringiu na Praça Padre Francisco Pedro da Silva, em frente a prefeitura.

SHOWS NA PRAÇA

À noite, na praça de eventos da cidade, aconteceram as apresentações musicais. Às 19h houve o 5º festival de violeiros e repentistas de Ouricuri. Em seguida foi a vez do Grupo MP3, Flávio Leandro e a Banda Garota Safada, que fez um show com mais de 3 horas de duração, levando o público ao delírio.

ouriesta3
O prefeito do Município, Cezar de Preto, avaliou como positivo as comemorações. “Ouricuri merecia uma festa como essa pela passagem dos 110 anos de história. Foi tudo muito bem organizado e feito especialmente para a nossa população”, destacou o gestor.

Para o vice-prefeito Guga Coelho, a programação superou todas as expectativas e essa realização foi uma prova do comprometimento da gestão municipal com a cultura de Ouricuri.

Maratona e Ciclismo

No domingo dia 12, a prefeitura já havia realizado seus eventos esportivos em comemoração ao aniversário de Ouricuri. A população pode participar das competições de ciclismo e maratona. Os melhores colocados das várias categorias receberam troféus e uma premiação em dinheiro, paga na hora. (Ascom PMO)

Armando Monteiro será candidato de qualquer jeito e já teria convidado Lula Sampaio para ser um de seus coordenadores. FBC não tem chance fora do PSB.


Uma fonte deste blog revelou com todas as letras que senador Armando Monteiro Neto (PTB) já monta seu time para disputar 2014. Convidou, inclusive, o ex-prefeito Lula Sampaio para ser um de seus coordenadores no Araripe.
Textual da fonte: "Armando disputa o governo de todo jeito. Se não for candidato de Eduardo Campos, será o candidato de Dilma. Ele já foi convidado pela presidente", conclui.
Resumo simples da ópera: Fernando Bezerra Coelho, o ministro de Dilma, só teria alguma chance ao lado de Eduardo. Mas falando do tanto e no tom que vem, dificilmente conseguirá conquistar a simpatia no entorno do Palácio e nas suas ramificações pelo interior do estado.


PIMENTEL NO PTB
Lula, inclusive, já estaria sabendo da possibilidade de Raimundo Pimentel ingressar no PTB, partido que comanda em Araripina. A que pergunta que fica é antiga: Pimentel vai chegar sem o comando como ocorreu no PSB e depois lutar pela hegemonia?  O futuro dirá.

Liderado maior que o líder


Em Araripina, na sua circunscrição, o vereador Evilásio Matheus (PDT), líder da oposição na câmara, caminha para ser também, e rapidamente, o líder do grupo que formava a antiga oposição. Na ausência de um líder carismático para reunir a 'tropa', é Evilásio, sempre, que constrói as pontes para ligar às outras esferas de poder, na tentativa de dar vida aos liderados que se ressentem de apoio e prestígio.
Prova maior foi a travessia  que o vereador de Lagoa do Barro acabou de fazer, saindo da esfera de Raimundo e negociando o apoio ao filho de Fernando Bezerra Coelho, seu homônimo, que é candidato a reeleição (deputado federal). Esta manobra surtiu dois efeitos imediatos:
1) Evilásio e colegas de bancada oposicionista começaram a trabalhar pelas bases com apoio da CODEVASF;
2) Raimundo Pimentel, que é o 'líder' do grupo, deverá rever os planos iniciais de ingressar no PTB de Armando Monteiro e seguir Evilásio, apoiando Fernando Bezerra Coelho, entrando assim no PT.

De qualquer modo, a vida de Pimentel é espinhosa nessa travessia. Quando, e se realmente sair do PSB, poderá perder o apoio de aliados importantes na região. Exemplo mais clássico é o prefeito de Bodocó (PSB).

FUTURO DE CADA UM
Evilásio marcha célere para ficar maior que o tamanho de um vereador em Araripina, politicamente falando. Por isto, será chamado a disputar a prefeitura ou mesmo a ser vice de alguma chapa. Isto levará Raimundo Pimentel a rever seus planos de construir a oposição em torno da esposa e médica Dra. Socorro.
Ralando como está,  de onde e de quando vem no sol e no sereno, será quase impossível Evilásio permitir que outro nome, e não o seu, seja lançado a prefeito de Araripina pela via da oposição.
Do contrário, teria sido melhor ter levado adiante sua fábrica de placas de gesso em vez de se esforçado tanto para fazer nome na política.
Evilásio Matheus é um  exemplo clássico de liderado que fica maior que o líder na terra que ambos escolheram para fazer política. Talvez por isso, nem precise mais ouvir dos aliados aquele velho choro de falta de reunião e diálogo com os líderes. Ele mesmo reunirá a tropa.

Tempos da 'Kaliuka'

O líder da oposição, Nilson Leitão (PSDB-MT), provocou o líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), durante votação da MP dos Portos: “Sua lição de casa hoje é escrever cem vezes a palavra privatização”.

Logo o PT, que venceu Alckmim e Serra acusando-os de 'privatistas'.

Café com leite - Sem bolo de rolo

Deputados do PSDB indicaram Bruno Araújo (PE) para secretária-geral do partido; já a bancada paulista reivindica o cargo para contemplar José Serra e o governador Geraldo Alckmin na executiva nacional.
Sai daí, Bruno!

Santa Catarina poderá ser socialista


O secretário do Desenvolvimento Econômico de Santa Catarina, Paulo Bornhausen, disse nesta quarta-feira que não descarta deixar o PSD para migrar ao PSB, comandado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O governador vem trabalhando em busca de palanques pelo País para 2014, quando deverá disputar as eleições presidenciais.

De passagem por Santa Catarina, Campos disse hoje que as portas do partido estão abertas ao secretário, que tem um posicionamento contrário ao governo Dilma. "O Paulo tem muitos amigos no partido. Quando ele decidir se filiar venho assinar a sua ficha", disse Campos, que participou da abertura da Expogestão, um dos principais eventos da área empresarial do Sul do País.

Procurado pela Broadcast, Bornhausen disse que a mudança não está nos planos neste momento, mas que ela não está descartada. "São boatos, porém simpáticos", disse o secretário. "Não descarto, mas temos até setembro para decidir sobre isso", acrescentou. De acordo com a Lei Eleitoral, os candidatos que vão disputar uma vaga em 2014 têm até o próximo mês de outubro para estarem filiados a um partido.

Para Bornhausen, um dos fatores que pode levá-lo a migrar para o PSB é a dificuldade de fazer palanque para a candidatura à reeleição da presidente Dilma no Estado. "Já basta o posicionamento nacional do PSD que acho que não tem volta. O governo tem uma posição da qual não compactuo", afirmou. O secretário disse ainda que independentemente da sua decisão continuará apoiando uma possível reeleição do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD). (Estadão)

Já em pré-campanha, FBC reinaugura a série acredite se quiser - Água no canal da transposição no ano da eleição.

A candidatura de Eduardo Campos se transforma em assombração no GG de Dilma. Seu ministro já promete inaugurar obra sem concluir, apenas para gerar expectativas e imagens em Pernambuco.

O governo Federal trabalha para levar água da polêmica transposição do São Francisco às primeiras cidades do Nordeste, antes das eleições de 2014, quando a presidente Dilma buscará a reeleição.

"A partir de abril do ano que vem já vamos ter água da transposição em cidades ao longo dos canais. Um exemplo: vamos ter água em Salgueiro antes das eleições. Para nós, será simbólico chegar água em Jati, no Ceará (logo depois de Salgueiro, no sentido do Ceará)", afirmou o ministro da Integração, FBC, nesta quarta.

"A cada estação elevatória entregue (serão sete) vamos fazer uma festa", disse.

FBC revelou que a meta da Integração Nacional é entregar, já em 2014, até o segundo semestre, pelo menos 100 quilômetros de água no Eixo Norte (Ceará) e mais 100 quilômetros no Eixo Leste (Paraíba e RN).

"Depois de uma desaceleração, a obra está em uma fase de aceleração agora, em velocidade de cruzeiro. O maio risco era de que houvesse uma judicialização da obra. Se ocorresse, ela iia virar um elefante branco. Assim, pulamos a fogueira maior, que era a judicialização".

"O que aconteceu, depois de 2010, 2011, foi que a obra não cabia mais nos contratos. Tivemos que replanejar a obra, depois que a realidade em campo ficou diferente dos projetos básicos contratados inicialmente", disse.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Para por fim aos privilégios à Petrolina, somente uma autarquia (CODEVASF) para a Chapada do Araripe e circunvizinhança.


Não é de hoje que Petrolina se apodera das verbas destinadas à promoção do desenvolvimento regional. Apesar de ser o município que menos joga água para a calha do Rio São Francisco, Petrolina é aquele que mais tira benefícios do Velho Chico e de sua fascinante  história, não apenas por exibir a imagem de uma ponte que a liga a Juazeiro (BA), mas por contar com políticos 'bairristas', que levam a sério a versão bíblica "Matheus, primeiro os teus". Araripina, toda a região Araripe e Sertão Central, que despejam no rio as enxurradas de água provenientes de invernos mais rigorosos e alongados (mais de 700 mm é a média histórica de Araripina), têm que se contentar com migalhas e até mesmo suportar dessabores de conviver com cisternas amontoadas num parque, fruto do descaso da CODEVASF dos Coelhos, ao tempo em que pessoas que fazem parte do poder municipal são submetidas a pedir favores a vereadores que apoiam Fernando Bezerra Filho, a quem são obrigados a procurar a fim de tratarem da divisão de poços que deveriam servir a órgãos importantes, como a um hospital, por exemplo.
A força da CODEVASF, que serve quase que apenas a Petrolina (fora dos períodos eleitorais), está criando dois sertões: O da própria Petrolina, que sedia o órgão, e os demais, que brigam pelas migalhas.
Para por fim a este desajuste político e econômico, forças políticas locais começam a se movimentar na tentativa de criar a 'CODEVASF' da Chapada do Araripe, região que engloba cidades de três estrados fronteiriços (ver mapa). É esperada, a partir de agora, uma maior mobilização entre as lideranças políticas, empresariais, sindicais e sobretudo das classes trabalhadoras. Precisamos despertar Recife e Brasília para a necessidade de criarmos uma Autarquia de Desenvolvimento Regional que aglutine os estados de Pernambuco, Ceará e Piauí, região homogênea e promissora, conhecida como Chapada do Araripe, que inclusive dispõe do instrumento jurídico de uma APA. Desta autarquia também passariam a fazer parte municípios abandonados pela CODEVASF, circunvizinhos, que têm as mesmas vocações ou vocações semelhantes, e enfrentam as mesmas dificuldades de acessar ao órgão que se transformou em 'bodega'  dos Coelho de Petrolina, independente da ala ou sub-ala. Do contrário, as cidades que compõem esta importante e promissora região, que inclusive abriga as maiores reservas de gesso e magníficas jazidas de ferro e outros minérios, terão que se contentar em aplaudir Petrolina, Juazeiro do Norte e da Bahia, vendo os anos se passarem e, em vez de viver o desenvolvimento, viver de pedir favores e de mandar nossos filhos para estes lugares. É este o primeiro grito. Muitos outros virão.
Nesta linha, o prefeito Alexandre Arraes, de Araripina, se pronunciou em reunião do Consórcio Regional que preside. Também engajado, o administrador de empresas Aírton Laje faz defesa sensata e embasada da tese, sendo pioneiro em levantar a voz.  Confira a reflexão de Aírton Arraes Laje:


NÓS PRECISAMOS, NÓS QUEREMOS, NÓS PODEMOS!
   O Araripe é membro da CODEVASF (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba). Este órgão público surgiu com a finalidade de fomentar o progresso do Vale do São Francisco, sendo posteriormente estendido para outras localidades, a exemplo do Araripe. Embora tenha havido essa sensibilidade de ampliar os locais atendidos, o desenvolvimento nunca foi visto pelo povo das outras regiões na mesma intensidade com que o Vale do São Francisco assistiu e continua assistindo.
   Ficamos felizes em ver que os nossos irmãos sertanejos do Vale do São Francisco, em decorrência do avanço obtido nos últimos anos, gozam hoje de uma enorme visibilidade em todo o país. Entretanto, nós também queremos a evolução para nossa região. A CODEVASF tornou-se pequena para atender tantas demandas.  Entendemos que o Araripe tem um potencial de crescimento animador. E quando nos referimos ao Araripe, nos estendemos ao Ceará e ao Piauí, estados vizinhos com municípios membros da região. É por isso que defendemos a criação de uma autarquia, como forte ferramenta para possibilitar ao Sertão do Araripe melhores e maiores instrumentos de desenvolvimento.
   Com uma população estimada em um milhão e oitocentos mil habitantes distribuídos em 112 cidades dos estados de Pernambuco, Piauí e Ceará, chega a hora de articular uma nova esperança para esse povo sofrido: a criação da Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe. Com um orgão próprio, a seca seria enfrentada por quem efetivamente convive com este problema. E quando temos o conhecimento a solução chega em melhor qualidade e em maior rapidez. Teríamos recursos específicos para combater a seca ao invés de apenas contribuições da CODEVASF, que  ajudam, claro, mas não correspondem ao verdadeiro enfrentamento das longas estiagens, além de incentivos substanciais direcionados para o desenvolvimento por um todo.
   Para viabilizar a chegada desta autarquia, a palavra-chave é a união. Primeiro, a união do Araripe pernambucano, cearense e piauiense. E depois da classe política. A Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe é uma ideia que caminha lado a lado com um projeto político maior para a nossa região. Agora falamos específicamente do Araripe de Pernambuco. Precisamos buscar a redenção, mas isso só acontecerá com representatividade política, a exemplo de Petrolina. Temos todas as condições de termos dois deputados estaduais e um federal. Já temos um prefeito bastante respeitado em todo o estado e que preside o Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe (CISAPE). Com os deputados estaduais e federal e Alexandre Arraes, que se mostra sensível a esta causa, no CISAPE, o Araripe pernambucano reune todas as condições de ser o vanguardista desse movimento em prol da chegada da Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe. Seria o alento do nosso povo e um sinal claro da chegada de um tempo novo para nós sertanejos araripeanos, a sorte está lançada, vamos a luta.

 Airton Arraes Lage
    É Administrador, Professor e especialista em Educação e Marketing.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Sonho de verão dos petistas está em curso na Argentina


Grupo Clarín se prepara para intervenção do governo da Argentina

Janaína Figueiredo, O Globo
Nos últimos dias, todas as empresas do grupo de meios de comunicação Clarín, o mais importante da Argentina, reforçaram suas medidas de segurança, em meio a fortes rumores de uma eventual intervenção estatal que estaria sendo preparada pela Comissão Nacional de Valores (CNV). A decisão final ainda não foi tomada e depende exclusivamente da presidente do país, Cristina Kirchner.
Nos corredores de canais de TV, rádios e jornais do grupo, a sensação é de que a intervenção poderia ocorrer em breve, mas ninguém tem certeza de nada. Nas últimas semanas, a CNV teria enviado várias intimações ao grupo, com o objetivo, segundo jornalistas locais, de armar um expediente interno que justifique uma intervenção.


Ela seu neurônio viciado

Outra mentira da série dos 6 mil

Augusto Nunes, VEJA
Quando a mentira que Dilma Rousseff vai contar requer alguma cifra, é sempre a mesma que o neurônio solitário lhe sopra: 6 mil. Durante a campanha de 2010, por exemplo, a candidata prometeu de meia em meia hora construir 6 mil creches. Já passou da metade do mandato e nem 50 ficaram prontas.
Em janeiro de 2011, jurou que até o fim daquele ano entregaria 6 mil casas aos flagelados da Região Serrana do Rio. Até agora não entregou nenhuma.
Em janeiro de 2012, Dilma caprichou na advertência às tempestades que teimam em cair no verão: se dessem as caras de novo, topariam com exatamente “6 mil agentes da Defesa Civil treinados para agir nas áreas de risco”.
Os aguaceiros ignoraram a ameaça e continuam provocando os estragos de praxe. Os 6 mil soldados guerreiros das encostas em perigo nunca foram vistos fora do cérebro baldio da comandante. A menos que tenham sido tragados por alguma inundação secreta, seguem aquartelados por lá.
Também são 6 mil, miou na semana passada o chanceler Antonio Patriota, os médicos cubanos que o governo pretende importar para transformar o Brasil Maravilha num imenso Sírio-Libanês. Exatamente 6 mil ─ nem mais nem menos, confirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
A conta de mentiroso avisa que o exército de doutores formados na ilha-presídio terá o mesmo destino das 6 mil creches, das 6 mil casas e dos 6 mil agentes de saúde: a coisa vai dar em nada.


Portugueses e espanhóis entre os guerrilheiros de branco vindos de Cuba e nações bolivarianas. PT tenta amenizar o impacto e camuflagem.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse ontem que a importação de médicos estrangeiros não pode ser um "tabu" e que a prioridade do governo será atrair profissionais da Espanha e de Portugal para suprir o deficit existente no interior do país e na periferia de grandes cidades. A declaração do ministro vem depois da polêmica com organizações médicas que protestaram contra um possível acordo entre os governos do Brasil e de Cuba, encabeçado pelo Ministério das Relações Exteriores, para trazer 6.000 médicos ao país.

Durante evento em São Paulo, Padilha evitou falar diretamente sobre a importação de médicos cubanos. Afirmou que seu "grande foco" será fazer intercâmbios com os dois países europeus, que possuem grande quantidade de profissionais qualificados e desempregados em razão da crise econômica.

A AMB (Associação Médica Brasileira) pretende acionar a Justiça e levar a classe para as ruas caso a gestão Dilma Rousseff (PT) importe médicos de outros países sem que eles passem por "rígidos testes de conhecimento, habilidade e atitude". O presidente da associação, Floriano Cardoso, afirmou que o governo será o "responsável direto por erros, complicações e mortes que poderão ocorrer caso médicos incompetentes passem a atender a população". Cardoso teme que a intenção do governo seja trazer brasileiros que fizeram medicina no exterior em "faculdades de baixa qualidade". "As fronteiras estão abertas, desde que esses profissionais provem que são competentes", afirmou. (Informações da Folha de São Paulo)

Mais um


Da Agência Estado

Grampos da Operação G7 da Polícia Federal interceptaram um telefonema do governador Tião Viana (PT) para o empreiteiro e ex-presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac) João Francisco Salomão, preso ao lado de outras 14 pessoas suspeitas de fraudar licitações de obras no Estado. Entre os presos na sexta-feira passada está um sobrinho do governador.

Na conversa gravada pela PF com autorização judicial, o governador - que não é alvo das investigações - avisa o investigado sobre uma linha de crédito bancário em Sergipe “sem garantia da obra” e “sem amarras”. Segundo o inquérito da PF, a conversa descrita no tópico “Linhas de crédito para capital de giro para as empresas do cartel” evidencia que os empreiteiros presos “tinham proximidade com o poder público”.

Além do sobrinho do governador, Tiago Viana, que é diretor de Análises Clínicas da Secretaria do Estado de Saúde, foram presos na operação o secretário de Obras, Wolvenar Camargo, o diretor-presidente do Departamento de Pavimentação e Saneamento, Gildo César (que tem status de secretário), o ex-secretário de Habitação, Aurélio Cruz, exonerado no início do ano, e o secretário adjunto de Desenvolvimento e Gestão Urbana da prefeitura de Rio Branco, Assuranipal de Mesquita.

Dos 15 presos na operação, pelo menos nove são homens de confiança do governador e do ex-governador e atual senador Jorge Viana (PT-AC) - que também não figura entre os investigados.

Na interpretação feita pelos agentes da PF do diálogo entre Viana e o empresário preso, “o governador diz que fará a mediação” da linha de crédito para o grupo acusado e que tal operação “se dará via Fieac”, com as secretarias da Fazenda, de Planejamento e de Obras atestando os contratos.

Viana diz na conversa que é para Salomão “tratar da operação de crédito” com o Banco do Estado de Sergipe (Banese) “via Federação das Indústrias”. O governador também pede um encontro entre os investigados e seus secretários.

A quadrilha, segundo a PF, era investigada desde 2011. Em apenas seis contratos, no valor de R$ 40 milhões, eles teriam provocado um rombo estimado em R$ 4 milhões aos cofres públicos. Conforme as investigações, o grupo, organizado em cartel, burlava concorrências e superfaturava contratos de pavimentação e obras de habitação.

O esquema tinha como alvo principal os dois maiores projetos em andamento no Estado: o Ruas do Povo e o Cidade do Povo, com investimento de mais de R$ 1,5 bilhão para pavimentação e construção de casas populares. Sete empresas se alteravam na simulação das licitações, segundo a PF. “Essas empresas dominavam as licitações do Estado na área da construção civil em cartel”, disse o superintendente regional da PF do Acre, Marcelo Rezende Vieira.

Clínica. Parte dos suspeitos, incluindo o sobrinho do governador é investigada também por fraude de contratos da Saúde. Em outra conversa telefônica gravada pela PF, o empresário Narciso Mendes Júnior, preso na Operação G7, sugere que o governador teria se comprometido com ele a apoiar a abertura de uma clínica em Rio Branco, que, segundo a investigação, foi montada exclusivamente para fraudar exames da rede pública de saúde.

A criação do Centro de Medicina Diagnóstica Ltda., conforme a PF contou com o auxílio de Tiago Viana. No diálogo captado no dia 30 de setembro de 2011, Narciso liga para o pai e relata o suposto encontro que teve com o governador, no qual teria sido apresentado a um médico de Rondônia com interesses em também montar uma clínica no Estado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Dilma corre risco de ser vaiada na Arena Pernambuco

Está sendo organizado para a próxima segunda-feira (20) um protesto contra a presidente Dilma Rousseff (PT), que estará em Pernambuco para o jogo de inauguração da Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, no Grande Recife.

A União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) reclama do veto da petista à subvenção para os 21 mil produtores nordestinos atingido pela seca.

Após o anúncio do protesto, o Palácio da Alvorada acenou para a causa dos produtores de cana. A Unida afirma que o Governo Federal quer definir políticas de apoio à atividade agrícola na região Nordeste.

Os produtores comemoram, mas garantem que o protesto está marcado e acontecerá, com apoio extra de agropecuários nordestinos atingidos pela seca e que também reclamam de falta de sensibilidade do governo federal

Fernando Bezerra vai para o PT em junho. Filho vai para o PSD.


Segundo fontes deste blog, o ministro Fernando Bezerra tem data marcada para trocar mais uma vez de partido. Em junho, se nenhum fato novo acontecer, ele sairá do PSB e entrará no PT. Contudo, não levará consigo o filho Fernandinho, que é deputado federal. Este buscará abrigo no PSD, presidido no estado por André de Paula. O filho do ministro, apesar da força do ministério da Integração, teme ser varrido do mapa político da região pela fúria dos aliados de Eduardo Campos e tentará renovar o mandato numa chapinha encabeçada no estado pelo partido de Kassab. Pelo menos é esta a versão que ele vai externar. A sua atitude também pode ser entendida como uma forma de garantir que o PSD tem um nome para assegurar participação no palanque do pai, caso André de Paula não se sinta confortável ao lado dos petistas.

Recife vai encantar e dará show de organização e fluidez na Copa - Queiram ou não queiram os agourentos.


É de barco pelas águas calmas do Capibaribe e não de carro pelas avenidas que os turistas mais exigentes chegarão a shoppings e ao metrô que os levarão ao estádio e principais pontos turísticos da Veneza Brasileira.

Com o passar dos dias e a desenvoltura de Eduardo Campos, que planeja voo nacional, petistas e seus seguidores, na capital e no interior, começam a disparar comentários e imagens depreciativas na tentativa de criar desânimo entre os pernambucanos quanto ao resultado da Copa 2014 em nosso estado. De todas as formas, tentam nivelar nossa capital a outras onde o caos impera e para o que não existe saída a curto prazo.

É de barco que cruzarão ruas e contemplarão pontes e paisagens, indo para Olinda ou para Porto de Galinhas.



É também navegando que poderão sair de Porto de Galinhas e adentrar Recife, curtindo a encantadora paisagem do Litoral Sul e de toda região metropolitana, esquecendo até mesmo que existe Copa.

Com fotos do trânsito caótico herdado do PT, postagens de aliados dos petistas que ainda gravitam o poder socialista no Estado tentam passar a ideia de que o desgoverno petista de 12 anos na capital de Pernambuco contaminará a reputação de Recife e manchará a imagem de bom gestor de Geraldo Júlio e do governador. Contudo, ao contrário do que desejam essas correntes agourentas, Recife dará banho de organização e, de longe, será a cidade mais encantadora e organizada de todas as sedes brasileiras, suplantando até mesmo o Rio de Janeiro. A singularidade da capital pernambucana encoraja a afirmação.

 O Rio Capibaribe, que voltará a ser navegável até a Copa; as pontes; as prais da capital e do Litoral Sul; Olinda; o frevo e o São João; o Recife Antigo e shoppings com rica e diversificada gastronomia; os restaurantes e museus, e sobretudo a capacidade do povo pernambucano, certamente farão da capital de nosso Estado a mais destacada entre todas as demais que sediam jogos. Sem demérito para as demais, não há como comparar.

Com este cenário, turista inteligente deixará a Copa em segundo plano.

Veja o vídeo e saiba como o turista vai andar em Recife.

Quem todo ano organiza o Galo não teme organizar dez Copas simultâneas


Só aquele que não conhece o tamanho e imponência do Galo da Madrugada com seus quase 2 milhões de foliões e turistas concentrados em tão pouco espaço de cidade; só quem nunca foi ao Recife Antigo em dias de seresta ou festa de massa, seja São João ou Carnaval; só quem nunca viu um Arrudão lotado em mais um jogo do Santa Cruz pode acreditar que Recife não dará conta de uma Copa.
Diferente do resto do País, desprovido de hotéis e de gente preparada, Recife está acostumada a conviver com multidões e hotéis lotados de turistas exigentes e endinheirados. Diferente de outras praças onde o inglês parece palavão, Recife esnoba com escolas de inglês, francês, espanhol e alemão por todos os cantos da cidade. Falar inglês na capital pernambucana é hábito. Basta uma parceria com os professores da rede pública e seus alunos, somados a alguma rede de ensino de outras línguas para suprir qualquer carência no aeroporto e principais pontos turísticos onde a língua estrangeira será demandada.

Proteger quem chega para lotar uma simples Arena é sombra com água de coco

Pernambuco tem ordem

Baderneiros que planejarem  tirar proveito da presença de gringos em Pernambuco terão uma decepção. A gloriosa Policia Militar de Pernambuco tem história. Seu surgimento flerta com o nascimento da Pátria. Ademais, basta uma só torcida pernambucana que sabe obedecer às ordens de comando vindas da Praça do Derby para proteger o turista e zelar nossa imagem, para vigiar cada esquina da Veneza Brasileira e seus arredores. A Nação Tricolor, que hoje comemora o tricampeonato pernambucano, sendo mais uma vez a que que mais lota os estádios do Brasil, sozinha, é capaz de  por os olhos em cada canto iluminado ou escuro com a objetivo de defender o brilho do  azul e branco da nossa bandeira e a rica história de nosso povo.

Quem ainda subestima?


Estudo do Interactive Advertising Bureau – IAB Brasil, em parceira com a ComScore, aponta que a Internet é considerada por 88% dos brasileiros como a mídia mais importante, superando com grande margem a televisão, revistas e jornais.
De acordo com a pesquisa, 40% dos entrevistados passam pelo menos duas horas por dia navegando, enquanto apenas 27% ficam o mesmo tempo em frente à televisão. A Internet também é a mais utilizada das mídias no lar dos brasileiros conectados.
O seu consumo crescente se deve, em grande parte, à importância que vem ganhando os dispositivos móveis e tablets nas diversas situações cotidianas.

Entre esses dispositivos, o que está mais presente na vida dos brasileiros é o smartphone. Em 2012, 42% dos brasileiros possuíam um. Já em 2013, o número saltou para 52%.
Dentre esses usuários, 37% passam 14 horas semanais ou mais navegando ou usando apps em seu aparelho. Já 46% dos usuários de tablets passam o mesmo tempo navegando ou usando apps.
Desse grupo, pessoas abaixo de 35 anos são mais inclinadas a passarem mais tempo navegando ou utilizando apps em seus smartphones.

Com uma notinha desta plantada com tanto 'veneno', Bruno Araújo ainda fica?

Carrapato tucano - Prestes a assumir a presidência do PSDB no lugar de Sérgio Guerra, o senador mineiro Aécio Neves não aguenta mais o lobby do deputado pernambucano Bruno Araújo para assumir a secretaria-geral do partido. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, não tolera Araújo e já havia  vetado o nome dele para o Instituto Teotônio Vilela.

MEU ARARIPE
Os tucanos paulistas, assim como os mineiros, não suportam nordestinos, principalmente se estes sonharem alto. Sérgio Guerra foi eleito presidente numa tentativa desesperada da cúpula tucana de apagar a imagem elitizada que foi colada no PSDB. Os paulistas são tão bisonhos no assunto que escolheram o mais elitizado dos parlamentares da bancada nordestina. Deu no que deu. 

Só os prefeitos ricos faltaram




Dos 184 prefeitos pernambucanos convocados para o manifesto contra o Governo Federal, que está sendo concluído neste momento na Assembleia Legislativa, no Recife, 112 estiveram presentes, segundo ata assinada por eles e divulgada pela coordenação do evento.
Foi um bom número, mas na prática houve uma ausência de 72 prefeitos, 40% da sua totalidade. Entre os que ignoraram o ato, promovido pela Associação Municipalista, Amupe, que tem como dirigente o eduardista José Patriota (PSB), prefeito de Afogados da Ingazeira, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e os principais dirigentes da Região Metropolitana.
Não deram o ar da sua graça também o prefeito de Olinda, Renildo Calheiros (PCdoB), Júnior Matuto (PSB), de Paulista, e Elias Gomes, de Jaboatão dos Guararapes. Do Sertão faltaram os principais, como Júlio Lóssio (PMDB), de Petrolina, e Luciano Duque (PT), de Serra Talhada.
O objetivo inicial da Amupe era chamar a atenção para a situação deplorável das prefeituras com a redução das transferências constitucionais, como o FPM. De largada, a Amupe queria que os prefeitos fechassem os seus gabinetes e decretassem feriado.
Mas muita gente não concordou. A voz mais altiva que se levantou contra o ato, por entender que seria de hostilidade ao Governo do PT, o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, chegou a distribuir uma nota contra a iniciativa com duras críticas à postura radical do presidente José Patriota.
Este, por sua vez, vendo que os prefeitos não estavam dispostos para um confronto mais direto, resolveu mudar a estratégia. Voltou atrás no fechamento das prefeituras e moderou no discurso de enfrentamento ao Governo Dilma.

A pauta foi aquela mesmo.

Eduardo recebe o presidente nacional do PRB













O governador Eduardo Campos (PSB) recebeu, na tarde desta segunda-feira (13), o presidente da executiva nacional do PRB, Marcos Pereira. A conversa, que girou em torno de temas nacionais, sobretudo economia, aconteceu no Centro de Convenções, sede provisória do Governo de Pernambuco.

Participaram do encontro o deputado estadual Ossésio Silva (PRB-PE) e o novo presidente do PRB de Pernambuco, Carlos Geraldo de Oliveira, que toma posse no final da tarde de hoje.

O destino de André de Paula


O presidente do diretório estadual do PSD em Pernambuco, ex-deputado e ex-secretário André de Paula, está atrelado, em certa parte, ao destino de Fernando Bezerra Coelho.
Se este deixar o ministério da Integração Nacional em solidariedade a Eduardo Campos, com a brevidade que alguns esperam e aconselham, é provável que este mesmo ministério seja entregue de 'porteira fechada' ao partido de Kassab. Em Brasília, fala-se que o titular seria justamente André de Paula.
Por outro lado, outras correntes asseguram que Fernando Bezerra estaria planejando desembarcar do Ministério não para ser solidário a Eduardo Campos, mas para pressioná-lo a decidir o candidato do partido antes de setembro, prazo fatal para desincompatibilização. Bezerra Coelho, desta forma, abriria o espaço no comando da pasta para o mesmo André de Paula e desde já garantiria o seu apoio na disputa pelo governo do estado, numa verticalização do apoio do PSD a Dilma.
André de Paula tem ligações históricas com Marco Maciel. Foi presidente do PFL Jovem e também secretário de Produção Rural no Governo Jarbas.
Até setembro qualquer um pode esconder o jogo. Depois disso, ninguém mais manterá em segredo os seus planos para 2014.

Jarbas Vasconcelos em mais uma importante entrevista


Jarbas Vasconcelos: 'O PMDB virou satélite do PT'

Aos 71 anos, 48 deles dedicados à política, senador pernambucano afirma que, na última década, o PT instrumentalizou o estado brasileiro e demonstra sua desilusão: 'A política está muito ruim no país, é uma coisa generalizada'


Jarbas Vasconcelos


Há quatro anos, o senador pernambucano Jarbas Vasconcelos provocou alvoroço ao afirmar em entrevista a VEJA que seu partido, o PMDB, era corrupto. Alinhado à oposição, Jarbas jamais aceitou o fisiologismo e o apetite voraz do PMDB por cargos nos governos Lula e Dilma Rousseff. Hoje, ainda sem saber se tentará um novo mandato no Congresso, Jarbas vai além: "O problema hoje não é nem só o fisiologismo do PMDB. A coisa é que ele está se transformando num satélite do PT. O PT determina o que o PMDB tem que fazer e o PMDB se subordina a isso", diz.
Nas últimas três eleições à Presidência da República, Jarbas apoiou candidatos do PSDB, mas no próximo ano aposta na concretização da candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). "O PSDB se embaralhou, não conseguiu se resolver", afirma.
Leia trechos da entrevista ao site de VEJA.


Biografia

JARBAS DE ANDRADE VASCONCELOS
Partido: PMDB
Estado: Pernambuco
Idade: 71 anos
Profissão: advogado
Cargos: senador (2007-atual); governador de Pernambuco (1999-2006); prefeito de Recife (1986-1988 e 1993-1996); deputado federal (1975-1979 e 1983-1985); deputado estadual (1971-1975)
A aliança parceria com Eduardo Campos em 2014 é para valer? É uma aliança definitiva, consolidada. Eu tinha que escolher, estava com dois adversários em Pernambuco, o PT e o PSB. Não tinha sentido. Havia uma reclamação de alguns membros do PMDB que se consideravam isolados e numa posição de desconforto. Nós então resolvemos abrir uma conversa com o Eduardo e essa conversa foi feita sem 'toma lá dá cá' e sem compromisso para cargos e ocupação de espaço político nas chapas de oposição. O PT estava muito mal na eleição para a prefeitura do Recife e nós começamos a conversar nesta ocasião. Terminamos fazendo já ali, em 2012, uma aliança para a prefeitura e ganhamos no primeiro turno. A aliança foi importante porque, além da partipação política, a gente tinha tempo de TV. E surgiu um entendimento que tem sido mantido e vai prevalecer, eu acho, para a eleição de 2014.

Por que não uma parceria com o PSDB, como nos outros anos? O PSDB se embaralhou, não conseguiu se resolver até pouco tempo atrás. O partido não estava pacificado, com aquele problema de São Paulo e havia uma ausência maior de entendimento entre Serra e Aécio. No meu caso, sou dissidente do PMDB e votei duas vezes em Serra e uma em Alckmin. E eu disse isso: se o PSDB não conseguiu se pacificar, ficava difícil agregar pessoas de outro partido. Foi essa uma das causas que nos levaram a uma opção pela candidatura de Eduardo: a demora do PSDB. Mas eu acho o Aécio um bom quadro, voluntarioso, que pode agregar e crescer.

O senhor vai buscar a reeleição ao Senado em 2014? Isso não está definido ainda na minha cabeça. Se eu disputar, disputo a reeleição. Já fui prefeito de Recife duas vezes, governador do estado duas vezes, e não pretendo voltar de forma alguma para cargo do Executivo. A política está muito ruim no país, é uma coisa generalizada. E, como ainda tenho um ano e meio de mandato, só vou pensar nisso no começo de 2014.

Só haverá uma vaga em disputa em 2014. O senhor não corre o risco de ficar sem espaço? Tenho a impressão de que não é por aí. Acho que, se eu manifestar essa vontade, a gente [com o PSB] faz uma composição.

E para o governo? O prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, quer ser candidato pelo PMDB. O prefeito aspira, o que eu considero legítimo. Petrolina é uma cidade grande, importante, mas ele quer uma aliança com o PT. A chance de eu subir num palanque com o PT é zero. É muito difícil eu progredir num entendimento dessa natureza.

Essa terceira via aberta por Eduardo Campos, com o eventual apoio do novo MD e dissidentes como o senhor, vai ter força depois de 2014? Acho que tem que crescer mais. O PSB, mais dissidentes e o MD não são uma suficiente. É preciso ver se conseguimos o PDT, por exemplo, ou o PTB. Isso aí depende muito do ânimo do candidato, ele precisa de tempo de TV e esses dois partidos têm. Acho que isso ele está fazendo nos bastidores.

Num eventual segundo turno entre Dilma e Aécio, o senhor e Eduardo Campos iriam um para cada lado? Tranquilamente. Se for Aécio ou Marina no segundo turno, com o Eduardo perdendo, eu voto em qualquer um dos dois com entusiasmo.

O senhor acredita que esse novo polo de poder no campo da esquerda pode significar uma superação do modelo do PT? Acho que as chances com Eduardo Campos crescem exatamente por isso. É quase impossível o presidente Lula criar a imagem de que a candidatura de Eduardo é de direita. Eduardo pertence à base, votou com Lula duas vezes, votou com Dilma, é dissidente. O governo é forte, não é à toa que tem essas pesquisas de opinião mostrando isso. O estado brasileiro está muito instrumentalizado. A força deles advém disso, dessa ocupação indevida de um espaço enorme. Mas acho que o Eduardo tem amplas condições de crescer. É uma pessoa ousada, governa um estado importante do Brasil e está com muita vontade de ser candidato.

Faltam bandeiras ideológicas aos políticos? O caso de Guilherme Afif Domingos, que foi do DEM a um ministério no governo petista em dois anos, mostra isso? Eu acho que esse negócio do Afif é um exemplo, uma coisa patente do quadro de degradação política que a gente vive. Lula formou uma grande aliança fisiológica que resultou no mensalão e em outros problemas. É uma política do 'toma lá dá cá', que se presta a partidos pequenos que são verdadeiras legendas de aluguel. Se fosse um período de normalidade e o PT não estivesse enraizado há dez anos no poder, fazendo o que quer, ninguém teria coragem de fazer o que Lula e Dilma fazem: botar o vice-governador do São Paulo, o maior estado da federação, para ocupar o 39º ministério do governo. Ninguém tem condições de criar mais de 30 ministérios. Ou de fazer o que a Dilma faz: usar a televisão, o dinheiro público para ser candidata à reeleição. A gente vê isso, o Tribunal Superior Eleitoral vê isso. E não se toma providência. Ela já foi beneficiada quando foi candidata a presidente. Lula lançou a candidatura e levava a Dilma para todo o canto, fora do período eleitoral.

O governo usa a máquina, os aliados aceitam o jogo e o eleitor os premia com o voto. Como quebrar essa cadeia? Isso se resolve lutando. O fato de o PT estar há dez anos com a preferência popular lá em cima, a gente tem que entender: ele faz o que ninguém iria fazer. Eles instrumentalizaram o estado brasileiro; o estado é todo petista. O Brasil hoje é um país profundamente medíocre, uma mediocridade generalizada, não é feito um debate sério, não se discutem as coisas mais sérias do país. Ao PT e à presidente Dilma não interessa nada disso, só interessa a picuinha eleitoral. Uma mulher que diz que no governo precisa se comportar com seriedade - o que ela não faz - mas na eleição se faz o diabo... Você não faz o diabo em lugar nenhum do mundo, nem dentro nem fora do governo. Eu fui prefeito e governador, e nunca me passou pela cabeça fazer o diabo. Eles têm índices altos de popularidade, mas existe essa ocupação enorme de espaços, a publicidade, o uso indevido de instrumentos pelo governo. A gente tem que lutar contra isso. Se for cruzar os braços, se omitir ou se embaraçar, a gente não vai para lugar nenhum.

O senhor reconhece que o PMDB faz parte desse sistema fisiológico que favorece o PT. É por ingenuidade ou mero interesse? Primeiro, o partido está nessa há muito tempo. Não é de hoje. O PMDB fez isso um pouco com Fernando Henrique e mais ainda com Lula. O problema hoje não é nem só o fisiologismo do PMDB. A coisa é que ele está se transformando num satélite do PT. O PT determina o que o PMDB tem que fazer e o PMDB se subordina a isso. É uma coisa muito complicada, porque se esperava uma postura mais impetuosa e independente do partido, mas o PMDB hoje é manobrado. Está se dizendo abertamente dentro do Congresso que quem vai ser o homem forte das alianças do PMDB e do PT é o Aloizio Mercadante!

Em entrevista ao site de VEJA, o presidente do PMDB, Valdir Raupp, disse que o PMDB hoje é de esquerda porque o PT é de esquerda. É um sinal daquilo que o senhor disse sobre a falta de independência? É uma frase profundamente infeliz. Não tem nada disso. O partido é de centro, sempre foi, com uma direita muito forte dentro dele.

Falta um partido de direita no Brasil? Eu acho que faz muita falta. A gente sente falta de um partido assumidamente de direita. Quando a gente teve isso no Brasil, as coisas ficavam mais claras. Era importante que houvesse um partido que assumisse as posições conservadoras, como a Margareth Tatcher na Inglaterra, ou como o antigo PFL fez durante um período. Esse debate é interessante. Não precisa ser de esquerda. Teríamos conservadores e progressistas: pessoas que querem avançar e pessoas que não querem, ou que querem mas às vezes impondo condições, restrições, adequações. Eu acho que essa mediocridade que a gente vive no país é muito por conta disso, por conta do PT, que domina o país há mais de uma década. Não é brincadeira um país ser dominado mais de dez anos com esse expediente.

O debate político acabou? Não tem. Qual é o debate que existe hoje na Câmara, ou mesmo no Senado, onde só existem 81 senadores e é mais fácil de discutir? Não tem. As pessoas estão mais interessadas em fazer negócios, no 'toma lá dá cá', nos cargos. Não estou dizendo todos, mas a maioria.

O senhor é do PMDB histórico. Acha que Tancredo e Ulysses compartilhariam dessa visão? Sim, porque eram figuras respeitáveis, que conviviam com figuras à esquerda e à direita, com pessoas que contestavam, que incentivavam, que adulavam. Eram estadistas. Doutor Ulysses, Tancredo, Franco Montoro eram pessoas que tinham visão, sentimento de estado, espírito público. Hoje a Dilma, por exemplo, nem tem espírito público e muito menos formação de estadista ou visão de país.

O PT tem índole autoritária ou essa prática patrimonialista surgiu com a eleição de Lula? O PT sempre foi dono da verdade, antes de chegar ao poder. Lula foi eleito em cima de duas teclas: uma era a da ética e a outra eram as mudanças. Eleito presidente, ele não fez mudanças e a ética foi embora. O partido não inventou a corrupção. Seria um erro grave dizer que o país passou a ser corrupto quando Lula e Dilma chegaram ao poder. Mas Lula foi conivente. O PT era tido como um partido sério, que só ele era bom, só ele tinha coração, só ele era ético e os outros eram enganadores. De repente chegou ao poder e ficou igual. Qual é a diferença, hoje, do PT para o PMDB e esses outros partidos? Zero. O Brasil teve avanços na área social, não tem como deixar de se reconhecer isso. Mas o quê mais? A nossa política externa é simplesmente ridícula. Ainda hoje, o país está convivendo com uma figura como esse Nicolás Maduro, que nem legitimidade tem dentro do país dele e veio buscá-la aqui.

Por que Eduardo Campos pode resolver esses problemas, se ele é da base aliada?Porque ele está com uma proposta de avançar. Ele tem uma coisa que outros candidatos na nossa área têm dificuldade de fazer: reconhecer que o governo avançou. Ele é peremptório, diz: 'O país avançou, eu participei disso, mas poderia ter avançado muito mais'. E aí está certo. Eu acho que você não vai resolver as questões desse país com a Bolsa Família. É importante como política compensatória, mas mais importante é a educação, é investir na qualificação do trabalhador. O que o governo tem feito nessa área? A educação está um desastre. Eu acho que, quando Eduardo Campos diz que o país avançou e pode avançar muito mais, acho que ele está falando também da política externa do Brasil - deixar essa coisa de estar agarrado com ditadores ou presidentes de formação atrasada, como a Argentina, Venezuela, Equador. Isso não leva o país a lugar nenhum. Vê as coisas internas: a saúde está desmantelada, a educação é completamente atrasada. Quem é que está discutindo o Brasil de hoje e o de amanhã? Ninguém. Como esse Brasil pode dar um salto qualitativo sem ser um voo de galinha? Um país convivendo com inflamação, todos os fundamentos da economia desajustados... Na Presidência, uma mulher que acha que é economista, não sabe o que é economia, mas quer impor as coisas pelo grito, pela intimidação. Para onde é que a gente vai nesse campo? É muito difícil.

O senhor tem esperança de que políticos mais jovens corrijam esse modelo? Eu acho que é uma tentativa que a gente está fazendo. Tem que fazer. É importante se agarrar com unhas e dentes a uma opção como a de Eduardo Campos, Marina Silva ou Aécio Neves. Eu escolhi Eduardo, não porque seja melhor que os outros, mas ele vem da base, e era importante que a gente arrancasse uma pessoa da base para ser candidato. Ele tem uma visão de futuro, de que é preciso modernizar a administração, de que o Brasil não pode avançar com um povo maltratado na saúde e atrasado na educação. O país não tem infraestrutura, como é que vai dar um salto qualitativo sem portos, aeroportos, estradas e ferrovias?. Como é que a gente vai avançar? Se o país estivesse crescendo no ritmo como os outros BRICs, a gente tinha quebrado, tinha tido apagões. Mas, como o Brasil está tendo um crescimento ridículo, essas coisas não aparecem.